Disciplina: ela pode alavancar sua vida!



Você conhece alguma pessoa que começa o regime na segunda e na quinta-feira já está desanimada e para? Aquela que inicia quatro tarefas ao mesmo tempo e não termina nenhuma ao final do dia? Aquela outra que inicia um novo projeto e o interrompe na metade?

O que há de comum nesses exemplos é a falta de disciplina para a conclusão das mesmas e a obtenção do resultado esperado. A indisciplina resulta em desorganização, frustração e fracasso.

“A disciplina é a mãe do êxito.” (Ésquilo)

Penso que algumas pessoas antipatizam com o termo disciplina, devido a sua definição impositiva: obediência ao conjunto de regras e normas que são estabelecidos por determinado grupo, ou ainda, refere-se ao cumprimento de responsabilidades específicas de cada pessoa.

É comum confundirmos disciplina com força de vontade ou procrastinação. São questões totalmente diferentes, e definir disciplina é algo complexo. No entanto, concordo com essa simples definição:

“Ser disciplinado é fazer aquilo que você não quer fazer, porque sabe que é importante fazer.” (Brian Tracy)

Muitos reclamam de fazer coisas que não querem ou gostam, em função de não perceberem relação de prazer naquela tarefa ou pelo grande desafio que a envolve. E quem disse que você vive apenas para fazer o fácil e prazeroso? Pare de resistir à realidade e foque naquilo que importa, aquilo que o realizará. Faça o que for preciso, independente de gostar ou não, pois apenas essa atitude o conduzirá às conquistas que realmente almeja.

Já reparou que as atividades que trazem maior significado e benefício à sua vida são as mais desafiadoras e menos prazerosas? Lembre-se dos exercícios físicos, estudar, fazer regime, deixar vícios, são atividades que muitos não gostam de fazer, porém são impactantes em sua qualidade de vida.

Ser disciplinado implica em trocar o prazer imediato por uma recompensa futura. Por exemplo, trocar o prazer de passar horas assistindo à sua série preferida pelo prazer de conquistar um novo emprego. Isso me lembra da fala recorrente de minha mãe: primeiro o dever, depois o prazer.

“Impor a disciplina a si mesmo é uma das grandes vitórias do homem contra si mesmo.” (Textos Judaicos)

O hábito de obter gratificação em curto prazo visando o prazer imediato faz com que ignore um possível cenário mais favorável a você, ou seja, o sucesso que obterá persistindo em algumas atividades que lhe causam dor ou lhe são incômodas.

“O sábio procura a ausência de dor e não prazer.” (Aristóteles). Equilibrar prazer e dor, o segredo da disciplina.

Você deve estar se perguntando: Se eu só fizer atividades que são difíceis, eu não vou me animar? Exatamente por isso é importante equilibrar atividades que são difíceis ao mesmo tempo em que tenha momentos de prazer, desta forma, facilita a execução disciplinada de suas tarefas.

A reação ao prazer e a dor varia de uma pessoa para outra. Algumas preferem a perspectiva do prazer imediato enquanto outras, a fuga da dor.

 “A habilidade de disciplinar a si mesmo para adiar a gratificação de curto prazo para desfrutar de recompensas maiores em longo prazo é o pré-requisito indispensável para o sucesso.” (Brian Tracy)



Tolerância à dor X disciplina.

A questão central para ser disciplinado reside no como lida e o quanto tolera a dor psicológica causada por algo que você TEM que fazer, mas NÃO QUER. Quão menor for sua tolerância à dor, mais difícil será disciplinar-se.

Pessoas com baixa tolerância à dor tendem a realizar somente atividades prazerosas ou que exigem mínimo esforço. A consequência desse hábito e crença surgem quando é preciso fazer algo desafiador e que exige maior esforço, surgindo, então a dificuldade em lidar com a realidade.

Enfrente seus problemas focando no que precisa ser feito e não no que você gosta de fazer e que lhe dá prazer. Desta forma, elevará seu nível de tolerância a dor. Persista e realize atividades difíceis, chatas ou que exigem muito esforço, assim você vai praticar a disciplina e será cada vez menos doloroso.

Ser autodisciplinado é um fator decisivo para mudar comportamentos disfuncionais e improdutivos, além de contribuir para que se assuma um comportamento mais compatível com suas metas. Mudando de atitude, você se tornará compromissado e responsável pelas realizações de suas tarefas e se encarregará de promover as mudanças autoestipuladas.

Invista na autodisciplina, pois é uma forma eficiente para que cumpra suas metas e conquiste seus objetivos. Para praticá-la é necessário autoconhecimento. Avalie sua capacidade e limites visando identificar os gatilhos que atuam na falta de comprometimento com seus próprios desafios. O disciplinado administra melhor o seu tempo, seu desgaste energético e equilibra sua vida pessoal e profissional.

Pontos que ajudarão a ser mais disciplinado e a melhorar sua vida:

Avalie as tarefas que geram valor à sua rotina

Antes de agir, pense! Avalie quais são as principais e mais importantes tarefas ou coisas a fazer em seu dia a dia, estime o tempo para realizá-las e considere possíveis imprevistos. Faça seu planejamento considerando suas prioridades de curto e longo prazo.

Evite as distrações

Abandone tudo aquilo que rouba sua atenção e que, além de não acrescentar nada à sua vida, interfere muito em sua produtividade. Ao fazer algo necessário e importante, foque sua energia e atenção apenas nessa tarefa. Evite a sobrecarga, faça intervalos com tempos curtos para limpar a mente e se distrair, quando estiver esgotado ou ao deparar-se com algum bloqueio na execução de suas atividades.


Autossabotagem: desistir no meio do caminho

Persistir na autodisciplina não é fácil, nem tampouco impossível. Ocorrerão momentos em que sentir-se-á cansado, desejando deixar para amanhã ou mesmo desistir, mas caso ceda à tentação uma vez, a procrastinação pode tornar-se um hábito.  Persista em suas metas e acredite: você tem o potencial necessário para transformar seus sonhos em realidade.


Automotivação

Faça uma rápida análise de ganhos e perdas em ser disciplinado. Avalie os prós e contras em utilizar a disciplina como fio condutor aos seus objetivos. Contudo, nunca use a autodisciplina como punição, mas, sim, como uma forma eficaz e produtiva que o conduzirá a realizar-se pessoal e profissionalmente.

Disciplina não é algo inato, mas é desenvolvida através da prática constante. Recomendo que a pratique realizando tarefas que lhe causam dor ou desconforto, fato que o fará sair de sua zona de conforto. Quanto mais fizer, mais fácil será enfrentar os desafios e concluir as atividades de que precisa para atingir seus objetivos e realizar-se.

Desejo que a leitura desse artigo contribua para sua reflexão e mudança de hábitos. Torne-se disciplinado, conquiste mais e sofra menos.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.