5min. de leitura

Dizer não também é um ato de amor, principalmente por si!

Dizer não, é preciso! Você não é obrigado a fazer tudo simplesmente porque ama uma pessoa.

Antes de amar alguém é preciso amar a si. Amar a si mesmo é conhecer profundamente os seus limites e as suas vontades e jamais se submeter a algo que te faz mal apenas para agradar.



Amar-se é saber se impor, ser verdadeiro consigo e com os outros e se colocar em primeiro lugar.

Não, isso não é egoísmo. É bom senso.

Egoísmo é achar que os outros devem fazer tudo por você. É esperar demais dos outros e pouco de si mesmo. É achar que o mundo inteiro deve se dobrar às suas vontades.


Colocar-se em primeiro lugar é saber que somos responsáveis por nós mesmos, e que nós devemos primeiramente nos valorizar, dar atenção e cuidar do nosso próprio bem-estar.

Nosso “sim” e nosso “não” sempre devem passar por esse filtro.

Ninguém deve ser obrigado a aceitar tudo, a passar por situações constrangedoras, a se sobrecarregar, a ir além dos seus próprios limites, a pôr em risco a sua saúde, o seu equilíbrio emocional, a sua paz, apenas para satisfazer uma necessidade do outro.

A necessidade é do outro, não sua.


Quantas vezes você disse sim, querendo dizer não, e acabou se machucando, se maltratando, se colocando em situações constrangedoras, que o fizeram mal, apenas para agradar alguém?

Quantas vezes esse sim que você disse acabou com sua paz e seu equilíbrio?

A verdade é que todas essas vezes você se traiu. Você se deixou de lado. Foi falso consigo mesmo. Ficou com medo de ser mal visto, mal falado e não ser amado pelas pessoas, e acabou sendo desonesto com você e com os outros.

Ninguém vai conhecê-lo de verdade, se você não se posicionar verdadeiramente de acordo com o que sente. Chegará um momento que nem você saberá quem é e do que gosta.

Dizer não, é preciso!

Você não precisa se usar de grosserias, ou indelicadezas. Basta que seja sincero e exponha a situação. E se o outro não gostar? Bom, o sentimento é dele, mas cabe a você correr o risco, e decidir se vai viver para os outros ou para você.

Não fique com o não entalado na garganta. Chegará o dia em que, ou você explodirá em uma crise de raiva (e sobrará, “até para quem não deve”), ou você vai se consumir em uma tristeza profunda na vida e perderá a fé nas pessoas.

Por isso, seja sincero, sem medo!

Você pode dizer sim?

Claro!

Quando esse desejo for verdadeiro, partir do seu coração, estar verdadeiramente dentro das suas capacidades e for feito de boa vontade, e não por esperar um reconhecimento ou algo em troca no futuro.

Seu sim e seu não devem ser sinceros. Isso é se amar, e amar o outro também. Dizer sim para tudo não é saudável para ninguém.

Nem para quem diz e passa por cima de seus reais desejos, e nem para quem houve e, muitas vezes, estava, na verdade, precisando de um grande não!

Porque todos nós às vezes passamos dos limites, jogamos nossas responsabilidades para os outros, nós nos excedemos, fazemos escolhas equivocas e, por isso, precisamos de alguém que nos freie. Todo mundo precisa ouvir não. É isso que nos permite conhecermos melhor as situações e cuidarmos do nosso bem-estar e do bem-estar alheio.

O não é saudável! Porque coloca limites, direciona e educa!

Dizer não é um ato de amor. Pois, precisa-se amar muito e de modo sincero uma pessoa para ter a coragem de dizer não para ela, de modo a preservar a nossa integridade e a do sujeito em questão.

Tudo na vida tem sua hora. Há momentos para o “sim” e há momentos para o “não”.

O importante é que tenhamos o bom senso para distinguir um momento do outro e que, acima de tudo, tenhamos a coragem de ser sinceros em nossas palavras.

Essa sinceridade é a nossa proteção e assegura o equilíbrio em nossa vida.

É um ato de amor por si e por aqueles que queremos bem!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: mihtiander / 123RF Imagens

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.