3min. de leitura

Do ventre materno ao pó, amemos profundamente a mulher poderosa e sublime que nos gerou!

Deus nos deu o privilégio de chegarmos protegidos e aquecidos por um ser maravilhoso chamado Mulher e, mais do que tudo, MÃE!



Através do ventre materno chegamos à Terra e, da terra, como pó, partimos à eternidade. No ventre, sentimos os primeiros momentos de vida humana; como pó, despedimo-nos após os nossos últimos momentos.

Do ventre materno ao pó, percebemos que somos seres que vão se desfazendo, com o passar do tempo, até que nada mais restará, ao menos neste planeta.

Também percebemos que o primeiro abrigo das nossas jaulas de carne pertence a um ser impregnado de amor incondicional e o único habilitado a nos carregar e alimentar por aproximados nove meses.


Em invólucros maternos, sentimos as primeiras sensações de conforto, proteção e amor profundo.

Deus nos deu o privilégio de, nos primeiros contatos com este mundo tão fascinante, mas conturbado, chegarmos protegidos e aquecidos por um ser maravilhoso chamado Mulher e, mais do que tudo, MÃE!

Libertos do ventre feminino, temos a oportunidade de desvendar este intrigante mundo, ouvir o canto dos pássaros, sentir a textura da pele dos seres que amamos, apreciar o aroma das flores da manhã, admirar o azul-celeste confundindo-se com o azul oceânico, degustar os sabores mais exóticos existentes e, acima de tudo, ter a sensibilidade de mergulhar nos pensamentos maternos e vivenciar aquela comunicação em grau espiritual que mãe e filho possuem.

Assim, após libertos do nosso casulo materno, vivenciamos os nossos primeiros contatos humanos, observamos atentos cada movimento, cada nuance e voz que nos rodeiam incessantemente.


Do ventre materno ao pó, antes que nos tornemos pó, devemos aproveitar cada momento, cada contato, especialmente com aqueles que nos amam e a quem amamos, pois o tempo não espera e nos leva apressadamente à nossa origem rumo ao outro eterno lado.

Do ventre materno ao pó, amemos profundamente a mulher poderosa e sublime que nos gerou, a pedido Divino!

 

Ensinamento extraído do livro “Enigma – Todo começo tem um fim”, de minha autoria. Ed. Letras do Pensamento.

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Alena Ozerova/123RF Imagens.

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.