6min. de leitura

A dor de aceitar o fim de um relacionamento…

Aceitar o fim de um relacionamento é muito mais difícil do que o fim em si.

Custamos a aceitar porque ele pode ser tão cruel e dolorido quanto a morte, mas a diferença, é que a morte é certa, exata, não tem mais volta. E por mais que doa, com a morte somos obrigados a nos conformar e seguir em frente. A pessoa se foi e não há mais nada a fazer.


Não acontece o mesmo no final de um relacionamento. Queremos nos agarrar à última migalha de amor, porque acreditamos que ainda é melhor do que nada. Buscamos acreditar que ainda existe um pouco de esperança no fundo do poço, por mais que o outro já tenha deixado claro de todas as maneiras que para ele não tem.

E, por esse motivo, acabamos agindo, muitas vezes, de maneira irracional no término, implorando por um sentimento que talvez não exista mais, ou que nunca existiu, de fato. Queremos acreditar de todas as maneiras que ainda tem um jeito e quando cai a ficha que não, a dor pode ser devastadora.

Confesso que tomei medidas drásticas e terríveis após terminar um relacionamento de três anos. Cheguei a comprar um curso pela internet caríssimo que prometia que ‘seu amor iria voltar’. Funcionou? Acredito que sim, já que acabamos voltando depois de um tempo. Mas o resultado? Terminamos de novo. Pois o fim já estava certo, e insistir apenas prolongou esse sentimento horrível.

Nós nos apegamos às lembranças, mensagens e fotos, transformando o sofrimento em algo muito maior do que realmente seria se aceitássemos seguir em frente como algo natural. Aconteceu, marcou, houve momentos bons e lembranças maravilhosas, mas acabou.

Agarrar-se a um relacionamento fracassado pode ser um gatilho para a depressão e uma bomba para a autoestima.

Não é por acaso que pesquisas relatam que grande maioria dos dependentes químicos entraram nessa devido a uma desilusão amorosa.


Aceitar o fim pode ser um dos momentos mais difíceis e dolorosos, mas a partir do momento que aceitamos, e paramos de nos perguntar o porquê, reviver momentos, pensar em um jeito de recuperar o que foi perdido e seguir em frente, pode ser libertador. Afinal, em hipótese alguma deveríamos querer a companhia de alguém que não deseja o mesmo.

Somos seres humanos incríveis em nossas particularidades e merecedores do amor incondicional, não só dos outros, mas principalmente de nós mesmos. Estamos nessa vida, somente por nós, e pode não ser fácil tomar consciência disso, mas ninguém pode nos salvar de nós mesmos.

Nem sua família, nem seus amigos, nem o seu amor, ninguém pode curar a sua dor, além de você; e a maneira mais amorosa de nos tratar nesses momentos difíceis é seguindo em frente.

Se precisar bloquear das redes sociais, bloqueie. Não procure ter notícias, não procure achar o erro, por qual motivo deu errado. Todas essas atitudes só trazem mais sofrimento e o impedem de conhecer um novo caminho, que pode ser muito mais feliz e agradável.

Simplesmente, aceite. Vai doer, sim. Tem dias que pode parecer insuportável e certas lembranças virão, mesmo sem querer. Mas você pode escolher de que maneira quer lidar com esse sofrimento. Deixe de lado as coisas boas que aconteceram e guarde com carinho no fundo do coração.

Encontrar a pessoa em alguns lugares pode ser inevitável e também muito doloroso, mas lidar com carinho, sem mágoas ou ressentimentos pela pessoa de quem você já foi próximo um dia, pode ser a melhor forma de superar essa situação.

Com o tempo, a dor vai passar, eu sei que todo mundo fala isso, e parece quase impossível de acreditar quando ela está tão presente. O mundo pode parecer ter perdido a cor e o sentindo.

Mas, recomeçar sempre pode ser bom, por mais que doa, recomece por você, fazendo o bem para você. Não procure tapar buracos com outras pessoas, mas, sim, ir atrás dos seus sonhos. Nada pode ser tão motivador quanto isso! Cuidar da sua autoestima e da aparência também faz muito bem, mesmo que pareça superficial.

Para cada fim, a oportunidade de recomeçar. Uma porta se fechou, mas várias outras serão abertas, e eu juro que isso não é só mais um clichê, mas a mais pura verdade vinda de alguém que também custou muito a aceitar o fim.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: fabianaponzi / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.