Notícias

Dupla de amigos – um cego e outro sem braços – reflorestam, juntos, mais de 10 mil árvores na China

dupla de amigos

Ao longo de décadas, dois idosos com deficiência que vivem no nordeste da China construíram uma inabalável história de amizade que virou até parceria em prol do reflorestamento de uma área devastada na província onde vivem.



Jia Haixia nasceu cego de um olho e perdeu o outro após um acidente de trabalho em 2000.

Já Jia Wenqi perdeu os dois braços em um acidente quando tinha apenas 3 anos de idade.

Juntos, eles têm trabalhado para reflorestar a área rural de Yeli, uma vila chinesa. Ao longo de dez anos, já plantaram mais de 10 mil árvores.


Amizade de longa data

Haixa e Wenqi são amigos desde crianças, época em que estudavam na mesma escola do vilarejo de Yeli. Com o passar dos anos, a amizade só cresceu.

Hoje, além de parceiros no projeto ambiental, eles também se consideram irmãos por todo o apoio e carinho que dão um ao outro. “Eu sou os olhos dele e ele são meus braços“, disse Jia Wenqi ao portal Global Times. Para levar a iniciativa adiante, Haixia e Wenqui cuidam de 8 hectares de terra cedidos pelo regime chinês, onde plantam e regam centenas de árvores todo mês.

Em entrevista à mídia local, os amigos disseram que depois de tantos anos cuidando da terra, eles já conhecem muito bem o caminho: Wenqi é sempre aquele que lidera a trilha apela mata para guiar Haixia, que segura a manga de seu paletó. Desta forma, os amigos conseguem se ajudar nas tarefas do dia a dia, e progredir apesar das suas deficiências.


Todas as manhãs, eles vão trabalhar às 7h. Ao chegar no campo, Haixia sobe numa árvore para pegar as melhores mudas, orientado pelas instruções do amigo; depois, começa a plantar e cuidar de cada planta com tranquilidade, observando o crescimento das outras mudas.

“Adoro observar as árvores prosperando. Isso beneficia a natureza e a nossa comunidade, pois evita enchentes”, disse Haixia. Em entrevista à BBC News, ele disse que quando ficou cego de ambos os olhos, devido ao acidente de trabalho, foi muito difícil para ele se adaptar à sua nova vida. “No início eu me sentia muito deprimido.”

Mas felizmente, Wenqi está sempre presente. Desde muito jovem, ele aprendeu a lidar com a deficiência, quando perdeu os braços, e embora não pudesse fazer nenhum tipo de trabalho, a comunidade o ensinou a plantar e cuidar de árvores, o que despertou seu interesse pela natureza.

Aliado à experiência de Wenqi com árvores, Haixia, que também é apaixonado pelo verde, transformou as boas intenções em prática. Hoje, além de um hobbie, a ação de zelar pela área reflorestada é recompensada pelo governo da China. A união tem feito a força: juntos, eles realizam afazeres que não poderiam fazer sozinhos.


Homem “mora” em cemitério na PB há cerca de 3 anos: “A gente tem medo de quem tá vivo”

Artigo Anterior

Mães abusivas que não amam seus filhos, uma pauta urgente

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.