É normal dizermos que estamos ótimos, mesmo quando não estamos



Eu estou sempre bem, e desaponto tanto quando digo o contrário disto. Mas não é preciso muito para desapontar expectativas.

Ninguém levanta de manhã na expectativa de ouvir das pessoas que não estão bem. É quebra de protocolo fazer isso. Dizer que estamos bem ajuda a despistar dos holofotes a curiosidade do que vai na gente. Também é uma forma de nos escondermos no nosso orgulho bobo de que precisamos estar sempre bem e sair por cima de todos os nossos desastres emocionais, profissionais, familiares e da vida.

Inclusive, sou defensora de que não há desastres, há uma espécie de aperfeiçoamento onde se vai registrando amostras que nunca são ruins. São versões de nós mesmos nesse desafio que é viver plenamente o melhor que pudermos.

Quando dizemos que estamos ótimos encerramos a discussão, mas deixamos em aberto a curiosidade.

A dúvida se instala e paira no ar como o leão na savana à espera da presa. Não respira. Não se move. Está ali, à espreita do melhor momento. Enquanto a gente faz o mesmo, à espera do que já sabemos sobre o outro. E até sobre nós mesmos. Ele não está assim tão ótimo e nós também não em algumas vezes.

O meu segredo é ser verdadeira no que eu digo. No que eu sinto. Se estou a morrer, deixo claro. Se estou magicamente feliz e estou nas nuvens, também deixo claro. Não vivo pela metade. Sou intensa, diriam uns. Eu completo: sou mesmo isso que está vendo, ouvindo, sentindo.

Meu elemento é a água, de acordo com o feng shui. É a minha essência.  Dizem que a água esconde o que tem em suas profundezas. Que a sua superfície pode acobertar verdades e segredos profundos.

Quem me conhece pouco me vê assim, e se espanta quando mergulha em minha profundidade. Sente-se traído.

Pergunto: alguma vez realmente olhou para mim? Olhou no fundo dos meus olhos, tocou a profundidade da minha alma e realmente me viu?

O que acontece é que entramos no mar, molhamos os pés e postamos que demos o melhor mergulho de sempre, mas nem às vezes sentimos a água direito. Sinceramente, depois vem dizer que conhece as pessoas? Que sabe bem com quem vive? Dormimos ao lado de desconhecidos… e não estou exagerando!

Ele me traiu! Ela me traiu! Nunca mais vou me entregar a uma relação outra vez!  Fico a pensar em quem traiu quem aqui. Há tantas maneiras diferentes de traição, que a mais frontal nem sempre é a mais comum e bem sabemos que é importante relativizar algumas coisas para não sermos determinados pela mesma faca afiada que usamos contra o outro.

A traição começa quando traímos as nossas expectativas e nossos planos para nos ajustarmos de maneira desleal ao outro. A traição começa quando não nos reconhecemos ao espelho. A traição começa quando nos apaixonamos por uma ideia e não pela pessoa real que está à nossa frente. A traição começa quando nem nós somos suficientes para nós mesmos, quando não nos bastamos e escondemos isso nos braços de outro alguém, com receio de nos encontrarmos assustadoramente frente a frente com a gente mesmo e a nossa finitude.



Já há algum tempo tenho o costume de conhecer o outro pelo olhar. Nunca mais me enganei. Os olhos dizem tudo ou não dizem nada, mas mesmo quando não dizem nada, ainda dizem.

E é justamente esse nada que faz a diferença quando estamos a investir o nosso tempo em um projeto. O outro tem nos olhos o segredo mais profundo. Alguns conseguem disfarçar, mas são poucos aqueles que me dão algum trabalho. Normalmente são estes pelos quais me apaixono.

Não gosto de pessoas fáceis de serem conhecidas. Não gosto de trabalho que não exija algum esforço e que alimente a minha curiosidade. Não gosto de viver as mesmas coisas com as mesmas pessoas todos os dias.

Conhecer e demorar-se no olhar do outro é a melhor aventura que podemos viver. Aprender a conversar e a dividir impressões é o que chamo de relacionamento.

Quer viver a melhor aventura da sua vida? Então demore um pouco mais para despir agora o que impede de dar ao outro a chance de conhecê-lo melhor. Não desvie o olhar e demore um pouco mais nos olhos do outro. Conheça e reconheça. Conecte-se e reconhece-te.

É nos seus olhos que mais me demoro e guardo para mim tudo o que vejo e sinto. Percebo no seu olhar algo que em mim também vibra. Não preciso que me diga nada. Seus olhos dizem tudo. Seus olhos me resgatam da escuridão dos meus dias, das horas mais longas e dos silêncios que tanto dizem.

Seu olhar é o meu sol, o fogo que muda o estado da minha água, que me transforma e transborda.

Que o olhar do outro e o seu sejam a ponte entre o agora e a eternidade de viver ao lado de quem vale a pena.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens/warmth.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.