3min. de leitura

É possível treinar o cérebro para ser feliz! Ter um pensamentos bons todos os dias! É assim que deixamos a vida melhor…

Fazer, fazer, fazer de novo, refazer. Ter um pensamento bom quantas vezes forem necessárias, fixar a mente em sentimentos que nos fazem bem quando eles se manifestarem. É assim que deixamos a vida melhor.


Sabemos que quando somos acometidos por sentimentos ruins, uma memória ou um acontecimento pouco agradável, eles parecem nos impactar com força muito maior do que os que nos fazem bem. São aqueles intrusos que ficam ali, à espreita, só esperando a hora certa para se manifestar.

E vira hábito, e vira rotina, e acaba nos estressando e causando doenças, sabia? Um estudo da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, concluiu que meia hora de negatividade por dia, seja vinda de nós mesmos, de outras pessoas, das redes sociais, prejudica o cérebro. Corra para ver um vídeo fofo, engraçado, ouvir uma música alegre, falar com gente legal, por favor!

O cérebro precisa desenvolver potenciais positivos! Exercitá-lo é fundamental para nos sentirmos pessoas melhores e mais felizes!

Podíamos acostumá-lo a já de manhã cedo pular da cama agradecendo, lembrando de um fato interessante, fazendo uma oração agradável. Acordar e dormir vibrando coisas boas.


Bora combinar já ir para o banho com determinado sentimento de bem-estar, enfrentar o trânsito ou aquele pequeno trecho até o trabalho, o colégio, a academia com a sensação de que está valendo a pena. Nossa mente precisa de bons costumes.

Já dizia o escritor e pensador inglês, Samuel Johnson: “As correntes do hábito são fracas demais para serem sentidas até que sejam fortes demais para serem quebradas.” Não deixemos que elas se despedacem.


A tristeza, a melancolia e outros sentimentos não tão nobres existem, eles nos rodeiam, porém, deixá-los dentro de nós e tomando conta dos nossos dias faz mal, muito mal.

Precisamos nos comprometer com nossa saúde mental. Nossos dias podem ser melhores se, além da vontade e da motivação para escolhermos o que desejamos imaginar, transformarmos isso num costume, num vício bom. Agora mesmo, vamos analisar como nossos pensamentos estão se comportando. Podemos escolher se vamos seguir assim, melhorar ou começar tudo de novo.

E, aos poucos, conseguiremos levar a vida no piloto automático. E ele estará nos conduzindo por caminhos alegres, inusitados, positivos e de gratidão.

 

Direitos autorais da imagem de capa: Vinicius Wiesehofer/Pexels.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.