4min. de leitura

É preciso aprender a respeitar cada um. Mentes tacanhas, não evoluem.

É preciso aprender a respeitar cada um. Mentes tacanhas, não evoluem. É preciso deixar que cada um siga feliz.

Eu já sofri Buylling – Na minha época não existia esse termo, mas sofri na pele coisas que muitos sofrem hoje em dia, devido ao preconceito.


Eu era apenas uma menina gordinha, sem graça na faixa dos 13 para 14 anos.

Na escola eu era tratada como o patinho feio. Ninguém falava comigo. Rejeitavam-me, zombavam, cantavam musiquinhas referindo-se aos meus quilos extras.

Chamavam-me de coisas que prefiro não lembrar. A gente pensa que não, mas o psicológico é afetado de uma maneira, que nem dá para entender.


Lembro-me de que aos 14 anos eu fui trabalhar em uma loja de roupas, perto de casa. Naquela época já tinha que ajudar em casa. E esse monte de ataques, vindo de todos os lados, realmente, não me fez bem. Deixou-me vulnerável insegura, com medo de encarar as pessoas e o espelho.

Muitas vezes eu não tive coragem de encarar o espelho pelos julgamentos das pessoas. Foi quando subitamente parei de comer. Não sentia fome, não sentia vontade de nada.

Lembro-me de entrar na loja e a dona, uma chinesa, olhou-me e disse: Você não pode mais trabalhar aqui, você está doente. Mas eu não me sentia doente. Até que, visivelmente, percebi o corpo emagrecendo, a falta de apetite e perdi mais de 13 quilos em um mês, praticamente.

A coisa veio gradativa, até chegar ao estágio em que eu adoeci. Adoeci, fiquei com uma anemia profunda e magérrima. Fui ao médico e fui obrigada a me alimentar com fígado, ovo de pato, e tentar engordar novamente. Depois de um tempo voltei a engordar, mas nunca mais como era antes.


Ao recuperar o peso, recuperei a autoestima. O tempo passou, mas muitas sequelas ficaram daquela época. Hoje eu exijo respeito. Respeito com o que sou. Só eu sei como doeram certas coisas em mim.

Eu não sou obrigada a seguir um estereótipo, eu não sou obrigada a aceitar o que a sociedade impõe ou ao que as pessoas querem. Pessoas que pregam Buylling em outras pessoas, não sabem o mal que causam. Ou sabem e se divertem com isso.

Deveriam se envergonhar de querer diminuir, rejeitar, maltratar ou ofender o outro, só por ele não seguir o padrão do que Eles imaginam como correto. Que cada um seja feliz como quiser, onde quiser e da maneira que melhor lhe convier. Ninguém deve se envergonhar por isso.

Existem almas lindas que se sobrepõem a qualquer tipo de aparência. Existem pessoas tão aptas e capazes de fazer acontecer, que são luzes que irradiam. Eu vim aqui pra cumprir minha missão e a entender que muita gente ainda precisa aprender a evoluir.

É preciso aprender a viver em paz e respeitar cada um como gostaria que respeitassem a si mesmos. Mentes tacanhas não evoluem. É preciso abrir o coração e deixar que cada um siga feliz.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.