publicidade

É preciso permitir que coisas lindas aconteçam…

Entenda uma coisa: os muros que você constrói não fazem bem a você.

É fácil exigir a perfeição do outro e dizer que no mundo só tem pessoas que não prestam e não servem para se relacionar.



Focando neste pensamento, toda pessoa que se apresentar a você só verá nelas aquilo que não presta e não lhe serve. As pessoas vão passar a perder o encantamento, e principalmente o direito de evolução e mudança perante seus olhos.

Na maioria das vezes é mais fácil para gente se isolar em mecanismos de defesa, pequenas ilhas e grandes muros. Descobrir o mundo do outro é uma aventura que nos leva sempre a descobrir o nosso próprio mundo.

Por isso é tão difícil, por que não somos verdadeiros com nossos próprios sentimentos e a imagem que temos de nós mesmos. Descobrir o outro sempre faz com que voltemos a nós.


É fácil ficar quieto, sem se aprofundar e construir barreiras.

Qualquer um que se aproximar temos todos os motivos para não deixar entrar, já temos todas as desculpas prontas estaladas como crenças que nos limitam.

Ao qualificar o outro como insuficiente estamos projetando aquilo que nos falta.

Se somos faltosos, logo somos também insuficientes e é doloroso para nós aceitar isso. Por este motivo, nós nos isolamos e deixamos de viver.


Porque viver não tem nada a ver com isso.

Viver é experimentar, mesmo que a experiência nos frustre.

É vivendo, frustrando-se, permitindo-se, que encontramos nossa verdade.

Só assim poderemos acolher e melhor lidar com aquilo que nos falta e projetar uma imagem melhor daquelas pessoas que fazem parte do nosso mundo.

Precisamos permitir que coisas boas e lindas nos aconteçam.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/dtatiana

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.