Reflexão

É sobre ser leve, do bem, leal, verdadeiro e focar no que importa!

capa site E sobre ser leve do bem leal verdadeiro e focar no que importa
Comente!

Não espere que o outro retribua tudo que você faz, isso é depender da cabeça e do bom senso de quem nem sequer sabemos ao certo se é bom ou mau.

Sabe quando nos deparamos com aquele momento da vida em que esperávamos mais? Aquela sensação de que fizemos muito, de que nos doamos ao extremo, esperando algum tipo de retorno daqueles que amamos ou da própria vida? Precisamos compreender que nem sempre as coisas vão acontecer da forma como esperamos.

A frustração por não alcançar outros patamares da vida pode desencadear em nós comportamentos de que não necessariamente vamos nos orgulhar no futuro. É extremamente importante nos ater à nossa essência. Nunca nos esqueçamos de onde viemos, o que precisamos passar para chegar aonde estamos e tudo aquilo que carregamos dentro de nós.

Não podemos controlar o que as pessoas pensam de nós e muito menos como elas vão agir, tudo aquilo que podemos fazer é agir da melhor maneira possível. Pode parecer uma frase de para-choque de caminhão, mas a verdade é que devemos dar nosso melhor todos os dias e esperar que os outros façam o mesmo.

Nem sempre vamos receber aquilo que merecemos, nem sempre o reconhecimento será instantâneo, mas o que importa é que continuamos com a cabeça erguida, sendo nossa melhor versão todos os dias, sem exceção. Acreditar que aquilo que somos basta é um ato revolucionário.

De tudo aquilo que você aprendeu, tudo aquilo que seus pais precisaram passar para garantir que tivesse o futuro que tem hoje, todas as coisas de que você mesmo abriu mão para conseguir conquistas mais importantes, tente se lembrar. O que realmente vale é conseguir ser transparente, leal consigo mesmo e suas escolhas, e canalizar sua energia para aquilo que importa.

Realmente, em alguns momentos, parece que estamos andando para trás, vemos pessoas sem integridade e moral conquistando cargos de destaque, e isso tudo nos amarga. Mas temos sempre que tentar nos livrar desses sentimentos ruins, porque não podemos passar a vida nos equiparando àqueles que jamais gostaríamos de imitar.

De que vai adiantar se alimentar com tanto ódio? Responder com ódio? Viver com ódio? Tudo isso são comportamentos que, futuramente, podem trazer problemas de saúde física graves, de saúde emocional complexas e até mesmo falta de perspectiva de vida. Como podemos encarar nossa existência com apatia?

Atenha-se a tudo aquilo que lhe faz bem, mesmo as coisas mais miúdas da vida, como andar descalço na chuva, encarar um pôr do sol e olhar no fundo dos olhos de quem amamos enquanto sorrimos. Pense nas coisas boas que você faz todos os dias, em todas aquelas pessoas com quem você já deu gargalhadas, já dançou e já conversou profundamente.

A vida precisa ser mais do que intrigas, tristeza e dúvidas. Não precisamos agir de maneira escapista e muito menos fechar os olhos para a realidade, mas podemos ser parte do grupo de pessoas que fazem de tudo para melhorar o mundo. Podemos não compactuar com tudo aquilo que enxergamos de ruim no outro, mas usar nossa essência, o que temos de melhor, para ajudar quem precisa.

Olhe para si mesmo e seja capaz de enxergar suas qualidades, veja suas cicatrizes e reconheça todas as batalhas que já perdeu, as que venceu e as que ainda estão por vir. A leveza está justamente no fato de termos o privilégio de compartilhar tudo o que conquistamos, e lembre-se: ninguém consegue ser feliz alimentando sentimentos ruins e se isolando. Seja parte de tudo aquilo que admira e pare de almejar aqueles que você sempre desprezou.

Comente!

“Os homens querem uma mulher que não existe” por Arnaldo Jabor

Artigo Anterior

Semelhança de MC Hariel com Anne Frank viraliza nas redes: “Hanne Funk”

Próximo artigo