ColunistasFelicidade

É tempo de despertar! a felicidade está batendo diariamente à nossa porta…

é tempo

A vida não está e nunca esteve contra nós e sim a nosso favor, acontecendo para o nosso despertar.



A vida tem um ritmo próprio. A Terra gira em torno de si e do Sol, as sementes brotam, as árvores crescem e as frutas caem do pé, tudo no seu tempo. Nós, seres humanos, somos os únicos que nos desconectamos da ordem natural, nos sentimos perdidos e culpamos a vida pelo nosso mal-estar, como se ela não nos desse o que merecemos.

Teimamos, queremos tudo para ontem e do nosso jeito. Debatemo-nos e nos machucamos, enjaulados na nossa inconsciência. Reclamamos e geramos miséria, nos esquecendo que somos grãos de areia nesse imenso Universo e que, enquanto estivermos adormecidos, nem nós mesmos saberemos o que é melhor para nós.

Recebemos da vida exatamente o que precisamos para evoluir. Tudo está certo como está, por pior que pareça. A vida não está e nunca esteve contra nós e sim a nosso favor, acontecendo para o nosso despertar.


Enquanto brigarmos com ela, brigaremos com nós mesmos e nos sentiremos separados, como um instrumento desafinado no meio de uma linda orquestra.

Você já viu um pássaro triste? Ele canta em dias de sol e em dias de chuva. Você já ouviu uma flor reclamar? Ela se expõe tanto ao céu azul quanto às nuvens negras e às tempestades. Você já viu um rio com pressa? Ele flui e coexiste em total harmonia com o todo.

Nós é que precisamos ganhar olhos para ver que, muitas vezes, criamos a nossa infelicidade. Somos reféns de crenças e comportamentos, em relação à nós mesmos, aos outros e à vida, que nos separam da nossa totalidade original. A felicidade está batendo diariamente à nossa porta e não conseguimos ouvi-la.

É tempo de despertar e ser feliz. O mistério da vida não nos exime da responsabilidade pelas escolhas que fazemos, consciente e inconscientemente. Somos cocriadores da nossa realidade, não vítimas.


O todo é maior do que a parte que conseguimos enxergar. Quando evoluímos, ampliamos a nossa visão, gradativamente, e assim temos a oportunidade de avaliar e aprender com as escolhas do passado, nos redirecionar, fazer novas escolhas, ressignificar a vida e dar um passo adiante.

Pergunte-se diariamente: De que maneira tenho criado minha insatisfação? O que falta na minha vida? Como posso ser mais feliz? Entre em contato com as atividades que fazem o seu coração cantar. Tenha tempo para o que te traz alegria de viver. Esse é o caminho.

Todos nós somos perfeitos, mesmo que diferentes uns dos outros. Somos como as plantas. Algumas precisam de mais sol, outras de sombra. Algumas precisam de muita água e outras de pouca. Em diferentes regiões e climas existem raridades. Somos todos sementes carregando potencialidades. Descubra quais são as suas necessidades, o solo ideal para o seu florescer e veja as suas pétalas desabrocharem.

Lembre-se: podemos mudar sem mudar de cidade, de casa, de emprego e de parceiro. Podemos mudar por dentro e tudo mudará por fora.


De acordo com o nosso nível de consciência acessamos diferentes níveis energéticos. Ainda que o cenário e as pessoas sejam os mesmos tudo será diferente.

E se você sentir que é hora de bater asas e voar longe, voe sem medo. Às vezes, é preciso voar bastante para ver que tudo está e sempre esteve à nossa disposição exatamente onde estávamos e que, ainda assim, somos livres para viver a nossa potencialidade onde o nosso coração quiser ficar.

Celebremos a vida e tenhamos sabedoria, ao longo da jornada do despertar, para sorrir, olhar o céu, contemplar as noites enluaradas e agradecer à vida. Ela é o nosso maior presente.

Quando estamos prontos para ser o que nascemos para ser, ouvimos a felicidade bater à nossa porta, abrimos e damos as boas-vindas.



Direitos autorais da imagem de capa: Michellisphoto


Você merece um amor verdadeiro

Artigo Anterior

“os sonhos não envelhecem”, mas é preciso tirar um tempo para sonhá-los!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.