ColunistasReflexão

Eis que, de repente, eles são adultos…

Eis que de repente eles são adultos... 1

“Vossos filhos não são vossos filhos… Vêm através de vós, mas não de vós… “ (Khalil Gibran)



Não restam dúvidas de que a função dos pais é a de dedicar todo o esforço possível na educação dos filhos. Estes não são “propriedades” dos pais que, muitas vezes, desejam forjá-los ao seu modo de encarar a vida.

Os filhos são seres enviados por Deus, para que outros seres (os pais) colaborem no desenvolvimento desses espíritos imortais.

Ao tempo, ouve-se declarações de um amor incondicional mais que perfeito, como se nessa relação entre pais e filhos não houvesse desgaste, confrontos, furos, medos e etc. Filhos são sim, muitas vezes, chatos. Outras tantas: egoístas, desmemoriados, ingratos, dramáticos, acusadores, cobradores.


Sem dúvida, há o outro lado da moeda, onde muitas vezes os pais se apossam da verdade absoluta, apenas porque são pais e julgam-se em vantagem, devido a um maior número de   experiências vividas. Sobretudo, as mães, que por sua condição, muitas vezes, acham-se no direito de ter comportamentos inadequados, valendo-se de sua “autoridade” materna, extrapolando com a justificativa de “só quero o melhor para você”.

Nossos filhos vão tomar decisões insensatas. Eles vão magoar os nossos corações, à medida que se afastam de nossos ensinamentos e do caminho correto. Às vezes, eles podem optar por não voltar. Mas podemos fielmente orar por eles e amá-los de qualquer maneira

A verdade é que os filhos crescem e passam a ser donos do próprio nariz, como diz o adágio popular.

Como pais de filhos adultos, devemos, também, crer que as sementes lançadas em seus corações e mentes, quando eram pequenos e adolescentes, ainda estão lá. É hora de confiar nos ensinamentos que foram ministrados por longos anos.


Filhos adultos são como o próprio nome diz: adultos; porém, não raramente, é comum encontrarmos várias amostras da chamada “geração canguru”. São os que, apesar de terem idade suficiente para cuidarem da própria vida, adiam tal decisão para continuar se aproveitando das benesses proporcionadas pelo amparo familiar.

No entanto, como consequências, aceitem ou não, acabam por continuar sob a autoridade de quem provém a casa, já que muitos não contribuem com as despesas nem participam das obrigações de um lar, assemelhando-se, na verdade, a hóspedes e não a membros da família.

Certamente, nenhum pai ou mãe amoroso quer ver seu filho sofrer em sua jornada pela vida, por isso sim, temos o dever de orientá-los, mas jamais poderemos viver suas histórias, assim, é importante respeitar suas escolhas, mesmo que isso signifique derrotas e frustrações, afinal, faz parte do aprendizado de cada um errar e aprender com os erros.

É fundamental que os pais tenham sua própria vida, que vivam e deixem viver, pois, por maior e infinito que seja nosso amor, eles vão trilhar seus caminhos, não se encontrando mais tão disponíveis nem dependentes como quando eram crianças.


Por maior que seja esse tal amor incondicional, pais e mães de filhos adultos têm que aprender a pensar independente deles, caso contrário, só haverá sofrimentos, cobranças, repressões, desgastes e culpas para todos os envolvidos.

Também não cabe aos pais o papel de “melhores amigos”, temos que agir como mães e pais que é o que somos de verdade, amizade e paternidade são relações distintas com contexto sem nenhuma semelhança.

Parece surreal como filhos conseguem ser, ao mesmo tempo, a melhor e a “pior” coisa de nossas vidas. É um antagonismo que nos remete àquele poema do nosso querido Vinicius de Moraes cujo trecho transcrevo para finalizar esta reflexão, pois este resume com clareza  o que são os filhos em nossas vidas, sejam eles ainda crianças ou já crescidos.

“Filhos…  Filhos? Melhor não tê-los! Mas se não os temos, como sabê-lo?


Se não os temos, quanto silêncio, como os queremos! E então começa a aporrinhação: Filhos são o demo… melhor não tê-los…chupam gilete… bebem shampoo… ateiam fogo no quarteirão. Porém, que coisa! Que coisa louca! Que coisa linda que os filhos são!”

_______

Direitos autorais da imagem de capa: highwaystarz / 123RF Imagens


Ei, garota! não espere o amanhã para ser feliz! a vida é o que temos hoje!

Artigo Anterior

Seja inteiro e encontre alguém que o transborde…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.