Eis que estão vindo os anjos…

7min. de leitura

Apesar de parecer que não, mesmo que ainda muito lentamente, se quisermos poderemos ver algum movimento rumo a melhorias de algumas questões sociais; são condições que não existiam até bem poucos anos atrás.



A tecnologia e a ciência evoluem a passos largos e em grande velocidade, já o que diz respeito às ações sociais, assuntos humanitários, estes avançam muito mais lentamente do que o necessário, mas podemos ver pequenos avanços.

Por exemplo, há anos atrás não havia sequer uma rampa de acesso nas calçadas para pessoas com necessidades especiais, embora ainda o número dessas melhorias esteja muito aquém do necessário, nota-se alguma preocupação neste sentido, pois há 20 anos não havia absolutamente nada relacionado.

Hoje é possível ver alguns veículos públicos adaptados, ainda que em número inferior ao necessário.

Despontam, hoje em dia, preocupações com o meio ambiente e com a preservação das espécies ameaçadas de extinção.


Até mesmo dentro dos lares, podemos notar que os animais domésticos  encontram um lugar mais digno dentro das famílias, pois antigamente eram, acredito, em quase 100% dos casos relegados a um quintal presos por uma corrente no pescoço, comendo restos de alimentos estragados.

E como estes, há muitos outros exemplos.

Contudo e infelizmente a humanidade está anos luz longe de alcançar  as condições ideais para se ter um mundo mais justo e digno.


Na era em que nos encontramos, estas são questões que deveriam estar essencialmente mais desenvolvidas, mas somente há muito pouco tempo, o ser humano começou lentamente a preocupar-se com o que de fato é importante como as questões ambientais, preservação da natureza, demonstrando algum respeito pelo planeta.

Porém, no ritmo lento com que as coisas se desenvolvem, leva a crer que nem a geração de nossos netos verá ainda um mundo melhor adaptado, onde a prioridade seria a vida, em todos os seus formatos.

Há condições sub-humanas espalhadas por todo o mundo e em um tempo tão moderno, o homem ainda se vale, por exemplo, de artifícios como guerras (ainda que tecnológicas) como forma de resolver conflitos e diferenças entre povos e nações.

O homem é ainda um ser atrasado que se vale de preconceitos, costumes primitivos, violência, entre tantas outras calamidades, denotando que ainda há muito que evoluir para  virem a ser criaturas realmente sábias.

Seria maravilhoso se o ritmo em que avança a ciência e a tecnologia fosse o mesmo como evoluem as questões sociais, porém, isso é uma grande utopia, uma vez que se trata de um assunto nada rentável para os poderosos que, por sua vez, preocupam-se apenas com o que lhes rende dinheiro e poder.

Porém, já despontam os primeiros humanos “angelicais”, depositando algumas gotas de esperança no oceano do descaso, através de frágeis ações dirigidas em defesa do planeta e seus habitantes.

A vida no planeta terra é ainda muito sofrida.

Seres humanos doentes e miseráveis circundam todo o globo terrestre. Animais, no mar, no ar e na terra, são tratados com desprezo, submetidos a crueldades, muitas espécies arriscadas de extinção, e outros já extintos. Mortos pelo bel prazer do homem, pelo seu interesse materialista, outros vivendo nas ruas procriando contraindo e transmitindo doenças sem que os responsáveis tomem alguma medida em favor desses indefesos.

Há uns poucos anjos iluminados que abraçam essas causas numa luta quase que solitária e certamente desigual diante daqueles que não demonstram nenhum interesse em tornar esse mundo mais integral, considerando em suas consciências frias e seus espíritos atrasados, que  não teriam com isso qualquer ganho que lhes desperte interesse.

A natureza ainda é agredida através do envenenamento dos rios. Florestas são devastadas e tudo acontece por causa da ganância, do egoísmo e da atrocidade dos homens. O poder e o dinheiro sempre vêm à frente.

A luta pela igualdade de direitos das classes oprimidas também começou a ganhar atenção somente há muito pouco tempo e até se chegar ao ideal, no ritmo em que se desenvolve, deverá demorar ainda muitas décadas, senão séculos.

É incompreensível que ações sociais, humanitárias, de respeito e preservação estejam em estágio tão atrasado e o homem ainda bate no peito do alto de sua arrogância e se engrandece de sua posição de ser diferenciado das outras criaturas por se considerarem inteligentes.

Fica uma pergunta sem resposta: O que é ser inteligente, num mundo onde a violência ainda impera, onde ainda há fome, preconceitos, enormes desníveis sociais?

O egoísmo é indício de atraso moral, intelectual e espiritual.

Vemos despontar tímidos e oprimidos grupos que demonstram um passo à frente na evolução humana em relação à maioria. São eles a esperança desse plano, de que em um futuro muito remoto possam existir muitos deles, que tomem os seus devidos lugares, sejam a maioria e o mundo poderá então, enfim ser um lugar justo, digno e habitável.

É triste saber que falta muito, mas é consolador saber que o início foi dado. Eles estão vindo! Que se multipliquem!

____________

Direitos autorais da imagem de capa: bolina / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 06/09/2017 às 4:38






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.