Ela é uma mulher dos 30…



A mulher de 30 e tantos anos sabe o que quer. Definitivamente, ela sabe…

Ela não é mais aquela garota mimada, que vive pela ilusão do casamento perfeito que a salvará das mazelas do mundo. Ela é a sua própria salvação.

Criou responsabilidade e fica difícil convencê-la do contrário, por isso ela sabe bem onde está se metendo e já não se coloca em tantas frias.

Conhece mais seus passos e se preenche mais com coisas e pessoas que ressoam com seu ser.

Tem mais prazer num bom vinho e em boas companhias do que em noitadas vazias. Ela ainda ama dançar, mas aprendeu a selecionar. Aprendeu com alguns erros que toda ação tem uma consequência e agora é cautelosa, mas não menos criativa.

Não curte mais joguinhos emocionais, e sabe quando está numa cilada. É mais intuitiva. Aprendeu a ouvir sua alma e respeitar essa voz.

Ela se apoderou de si, empoderou-se pelas dores. Honra suas cicatrizes com amor, pois elas a tornaram a mulher que é hoje.

Não procura amor, ela se nutre dele.

Está mais madura, consciente, disciplinada.

Virou amiga do creme anti-rugas, mas não esquenta com os sinais da idade. Um fio branco ou outro já reluzem nas madeixas, e ela sorri quando vê que já não tem mais seus vinte e tantos anos. Percebe que o tempo passa e por isso não perde mais tempo.

Sabe que estrias são parte do seu corpo, por já ter gerado outro ser dentro de si, e ama cada parte que a pertence.



Ela não joga papo fora. Ela fala com profundidade. Ama ser amada, amar e viver relações profundas. Tem mais consciência das trocas íntimas.

Não dispensa um homem que sabe respeitar seu espaço, pois ama sua liberdade.

Ela tem sua casa, sua independência, seu dinheiro, seu sustento e. mesmo sabendo-se um mulherão de 30 e tantos, carrega um frescor e uma jovialidade dos 20 e poucos.

Pode não se entregar na primeira, mas sabe ser inesquecível. Na verdade, esquecer essa mulher é o desafio, pois ela não vai cobrar sua presença, mas vai deixar seu encanto no ar. Ela não tem medo da solidão. Transformou-a em prazer e vive bem em solitude.

Para ela, não basta ser bom, tem que ser incrível! Ela corre atrás do que quer, sem se sentir inferiorizada por ser mulher. Transmutou complexos, e não se sente menos mulher quando toma iniciativas.

Ela sabe que está na melhor década da vida. Ela é uma mulher dos 30


Direitos autorais da imagem de capa: wall.alphacoders / 975863






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.