publicidade

Ela mudou o status de relacionamento…

Leia ouvindo: Jack Johnson – Bubble Toes



“Foi de repente, me pegou de surpresa também.”

Não terminei de ler as mensagens seguintes, era melhor arquivar. Ignorei o fato de até outro dia ele aparecer nos likes e fazer comentários por inbox. Até outro dia a gente se falava por whatsapp quase todos os dias.

Foi de repente mesmo, eu acredito. De repente a gente encontra uma certeza e abraça ela com todas as forças. O tempo vai dizer se tudo isso é realmente certeza ou uma grande dúvida, e veja bem, longe de mim querer brincar de olho gordo e tentar melar qualquer namoro recém começado.


Já fui muito feliz no “de repente” também. Acha mesmo que eu iria desejar o mal a ele? Jamais. Acredito no amor, e por ironia do destino, sempre acreditei que ele acontecesse de repente.

Não vou te dizer que eu tô aqui, felizona em saber do namoro recém assumido, mas seria imbecil da minha parte desejar o mal a ele, justamente por saber que ele é um cara do bem.

“Mesmo sabendo que ele não foi 100% honesto com você em relação a outras garotas?” Disse uma amiga, botando lenha na fogueira.


A minha resposta foi clara: Mesmo sabendo que ele não foi 100% honesto comigo em relação a outras garotas!

Quem é 100% honesto com o crush, gente? Ainda mais quando o relacionamento é muito mais virtual que pessoal. Um minuto de silêncio entre nós duas.

Ninguém é! Ninguém criou grandes expectativas. Nós dois sabíamos a dificuldade que seria ter relacionamento à distância. Nós dois sabíamos das agendas corridas e concorridas. Nós dois sabíamos os vícios e virtudes de um quase relacionamento perturbado pra caramba. Obviamente que não seria um relacionamento fácil e talvez por isso tenha morrido ainda embrião. Nós dois sabíamos que no fundo não valeria tentar.

Optamos por um caminho que era bom para ambos, e ele não estava errado em assumir um relacionamento. Pelo contrário, no lugar dele eu provavelmente faria o mesmo. Valeria a pena desgastar uma história que foi feliz no enredo, mas não teve um final feliz?

E foi relembrando dos nossos momentos que tive com ele que me bateu a saudade, e não era saudade do que passamos juntos. Era uma saudade esquisita, uma saudade de um futuro que não aconteceu e sabe lá Deus se um dia iria mesmo acontecer.

Era uma mistura de saudade e frustração. O que foi e tudo aquilo que podia ter sido. Trouxe a culpa para mim. Eu deveria ter feito…

Não, pera! A razão me trouxe de volta à superfície. Você não deveria nada! Sozinha não você não poderia fazer grandes coisas. Ele também precisava querer. Será mesmo que ele queria o tanto que dizia?

Mas e agora, em quem eu vou colocar a culpa? Agora, meu amor, você vai pegar a culpa e jogar pela janela. Ela não é de ninguém. Você não pode criar a culpa por algo que não aconteceu.

E foi assim que eu deixei ele ir e decidi ficar. Foi voltando para casa, ouvindo a nossa playlist compartilhada, que me despedi. Já tinha começado essa despedida sem perceber, me afastei dele porque já não concordava com algumas atitudes, então por que eu iria sofrer?

Ouvi a nossa música pela última vez, agradecendo por tudo que nos uniu e que eventualmente nos separou.

Não era para ser, e isso precisa ser visto como uma dádiva. Voa! E que mesmo em caminhos diferentes a gente encontre nossas verdades. Vai ser feliz, meu caro!

E assim como a gente percebe que não vale tão a pena, percebe também a cagada que é ter playlist compartilhada.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.