6min. de leitura

Ela não tinha tempo para absolutamente nada, dizia. A vida estava corrida demais. Será mesmo?

Não seja aquela pessoa que só diz que precisa e que quer, mas nunca faz. O barato de hoje pode sair caro demais!

Ela não tinha tempo para absolutamente nada, dizia. A vida estava corrida demais. Ela bem que queria muito e precisava muito fazer uma pausa, marcar aquele encontro, fazer aquele curso que era muito importante e coisa e tal, mas nunca encontrava espaço na agenda, nem tinha dinheiro para isso, nunca.


Era tudo caro demais, dizia. E tempo e dinheiro são recursos escassos demais, dizia também, enquanto enviava para a amiga, via Iphone último modelo, as informações sobre o ingresso para aquela balada de R$ 500,00 que elas não podiam perder de jeito nenhum, entre um intervalo e outro espiando perfis de famosos, conhecidos e desconhecidos nas redes sociais.

Fim da história.


O que é prioridade para você?

Caro e barato sempre foram conceitos bastante relativos, já reparou? Assim como sucesso e felicidade, feiura e beleza, prioridades e “prioridades”.


Se você parar para refletir sinceramente sobre as principais escolhas que tem feito até então, verá que até o “não posso, porque não tenho dinheiro” pode ser bastante relativo, assim como “não tenho tempo”, “estou com saudades”, “preciso muito fazer”.

Será que não pode mesmo? Não tem tempo mesmo? Está com saudades mesmo? Precisa mesmo?

Quando você diz que uma coisa é muito cara, qual é a sua base de comparação? Ela é cara em relação a quê? Quando você diz que não tem tempo, que agora não dá, que a vida está muito corrida, apertada e por aí vai, no que é que você está focando? O que é que você “está preferindo” fazer?


O que percebo, cada vez mais, é gente que quer que as coisas mudem, que o tempo aumente, que o dinheiro brote, que o olho brilhe, que o trabalho prospere e que a saúde reverbere sem fazer esforço algum.

Gente que quer encontrar o seu lugar no mundo e viver com mais autenticidade e propósito sem se permitir experimentar, investir, cair, arriscar, se entregar, deixar ir, se estrepar, trabalhar, ganhar, perder, errar… e depois tentar tudo de novo, se preciso for, por que não?

Gente que vive dizendo que “quer muito”, “que precisa muito”, “que sabe que vale muito a pena”, mas que, na realidade, nunca colocou todos esses “muitos” como prioridades na vida.

E, se assim é, como esperar que algo mude então?

Como você quer que o seu dinheiro comece a trabalhar por você, quando você não investe um minuto sequer do seu tempo para se educar financeiramente?

Como você quer descobrir o que você ama fazer de verdade, quando tudo o que você faz é reclamar do seu trabalho atual e dizer que não tem talento para nada?

Como você quer ser mais produtivo e viver na mais alta performance, quando, ao invés de estabelecer e se focar em metas reais, você perde horas do seu tempo vagando pelas redes sociais, reclamando, falando mal dos outros ou simplesmente não fazendo absolutamente nada?

Como você quer que o novo entre na sua vida, quando você sempre adota uma postura de sovina ou acumulador diante das coisas? Quando você se agarra demais ao que lhe aconteceu no passado, cultiva mágoas e ressentimentos, não doa, não vende, não troca, não deixa ir?

Como você quer que o seu corpo e a sua mente estejam sempre saudáveis, quando você se alimenta de qualquer jeito, tem o hábito de ser sedentário e nunca investe na sua inteligência emocional?

Só dizer que “quer muito” e que “precisa muito” ir à academia, alimentar-se melhor, fazer uma pausa, reorganizar sua vida financeira, começar ou finalizar aquele trabalho, investir naquele curso, desfazer-se daquelas coisas que você já não gosta ou que já não usa mais, marcar aquele encontro, escrever aquele e-mail, concluir aquela tarefa ou seja lá o que for que você diz que quer e que precisa muito fazer, mas nunca faz, não vai resolver absolutamente nada na sua vida, simplesmente porque não existe fórmula mágica nem milagre, não.

O que existe é trabalho, interno e externo. E muita força de vontade para realmente fazer o que a gente sabe que precisa ser feito (ao contrário de esperar que todas as respostas caíam de bandeja no seu colinho quentinho e arrumado, quando nem ao trabalho de fazer as perguntas você se deu).

Entre o “preciso muito/quero muito” e realmente estabelecer a prioridade e mandar ver, existe uma distância enorme. Não seja o tipo de pessoa que só diz que precisa e que quer, mas nunca faz. O barato de hoje pode sair caro demais!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: photopiano / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.