ColunistasMulheres

Ela tinha o dom de fazer dor virar flor…

Ela tinha o dom de fazer dor virar flor. Lágrimas viraram sorrisos, e o inferno virou paraíso.



Ela tinha o dom de ser forte mesmo quando estava de joelhos diante da vida.

Ela aprendeu a ser persistente, porque nunca se conformou com os nãos que recebia.

Ela adorava profundezas, apesar de nunca ter aprendido a nadar.


Pulando de abismo em abismo, um dia ela resolveu se jogar… a queda foi assustadora, mas foi assim que ela aprendeu a voar.

Quando descobriu que tinha asas, que poderiam levá-la para onde quisesse ir, ela nunca mais se demorou onde não houvesse amor, onde as pessoas não soubessem amar, perdoar e se respeitar.

Ela nunca mais aceitou viver de metades. Ela já não perdoava mentiras, ela não tinha mais medo, de nada. 

Ela voou alto, buscando paraísos, sorrisos, experiências e aventura.


Ela decidiu voar até encontrar um amor libertador que a fizesse querer ficar, que a fizesse sentir o suficiente para nunca mais querer partir.

Ah, que sorte a dela, porque tudo que ela sempre procurou, também estava a procura dela.

Ela continua sonhando e acreditando que quando o coração deseja, Deus realiza, que quando a gente batalha e se dedica o Universo conspira.

Ela era uma guerreira, munida de Luz e sua maior arma sempre foi a fé.


Fé, de que dias melhores sempre chegariam, e quando ela sorriu para a vida, a vida sorriu de volta para ela.

___________

Direitos autorais da imagem de capa: merls / 123RF Imagens


Educar seu filho para a vida financeira é uma necessidade! 5 dicas para começar cedo:

Artigo Anterior

O avanço da síndrome do dever de cuidar da vida alheia…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.