Notícias

Em caso raríssimo, médicos descobrem pedras “gigantes” na vagina de paciente

capaem caso rarissimo medicos descobrem pedras gigantes na vagina de paciente

Fotos chocantes do caso da paciente foram compartilhadas pelos médicos. Saiba mais!

Um caso raro tem chamado a atenção nos últimos dias e deixado diversas mulheres atentas à sua saúde. Médicos compartilharam no Urology Case Reports o caso de uma paciente que tinha pedras “gigantes” na vagina.

O caso surpreende porque não é nada comum pedras surgirem nessa região, são frequentes na vesícula ou nos ruins. A situação foi descoberta quando a mulher procurou ajuda alegando que era casada e tinha dificuldade para engravidar.

No entanto, essa não era a única questão no caso da paciente, que também tinha incontinência urinária desde os 5 de idade, quando sofreu um acidente que lhe causou ruptura na bexiga. Além disso, seus períodos menstruais sempre eram irregulares e dolorosos, mas ela nunca procurou tratamento para essa questão.

Num exame físico, o médico desconfiou de que algo estava obstruindo a vagina, e exames de imagem comprovaram a suspeita e revelaram duas pedras “sólidas e lisas” dentro da área pélvica.

As pedras tinham tamanho supreendente. Medindo 3,6 cm por 5 cm e 5 cm por 5,8 cm, eram do tamanho de duas bolas de pingue-pongue. Uma das pedras estava presa à parede da bexiga, enquanto a outra, à parede do reto.

Os médicos indonésios ficaram preocupados com a paciente e resolveram o seu caso em uma cirurgia para remover as pedras e corrigir outras anormalidades na vagina da paciente.

2em caso rarissimo medicos descobrem pedras gigantes na vagina de paciente

Na parte de baixo da imagem, é possível – ver as pedras na região da vagina – Direitos autorais: Reprodução / Urology Case Reports

Segundo eles, não há casos de cálculos vaginais relatados na literatura médica nem nada que pudesse causar infertilidade.

Conforme contado em uma matéria do The Sun, os médicos disseram que as pedras vaginais podem ficar “silenciosas por muitos anos”, formando-se lentamente, permanecendo “não detectadas quando não há sintomas”.

Eles explicaram que essas pedras podem se desenvolver quando a urina se acumula em um local inapropriado, como na vagina.

No caso dessa paciente em especial, as pedras provavelmente cresceram porque ela tinha fístula ureterovaginal, uma abertura anormal entre a vagina e os ductos que transportam a urina dos rins para a bexiga.

O problema se desenvolveu por causa dos ferimentos provocados pelo acidente sofrido quando criança, o ocorrido também danificou os órgãos reprodutivos, o que não era de seu conhecimento, bloqueando parcialmente a abertura de sua vagina.

Os médicos acreditam que essa seja a razão por trás de seus períodos menstruais irregulares, e acrescentaram que a obstrução vaginal também causa problemas de qualidade sexual e infertilidade em uma mulher adulta.

Seis meses depois de sua cirurgia, a paciente não apresentava nenhum problema, mas não foi revelado se ela conseguiu conceber.

O The Sun extraiu informações adicionais sobre pedras vaginais de um artigo da Columbia Shores OBGYN, segundo o qual essa condição causa sintomas como dor na vagina, no estômago, durante as relações ou a micção, fazendo com que as mulheres precisem ir ao banheiro mais que o normal. Por isso, muitas vezes, essas pacientes são diagnosticadas erroneamente com infecções do trato urinário, ainda que em muitos casos esse seja o diagnóstico mais provável.

O site dizia: “Cálculos vaginais são uma condição muito rara que a maioria dos ginecologistas nunca verá ao longo de sua carreira. No entanto, podem ocorrer”.

O portal ainda informou que um cálculo vaginal primário geralmente se desenvolve depois de uma cirurgia, trauma, bexiga neurogênica, estenose vaginal ou obstrução da saída vaginal, e que o maior risco para essa condição são malformações geniturinárias congênitas ou fístulas uretrovaginais.

0 %