Comportamento

Empresa de cosméticos maquia mulheres no dia do divórcio e ex-maridos ficam chocados

Capa Empresa de cosmeticos maquia mulheres no dia do divorcio e ex maridos ficam chocados
Comente!

A ação fazia parte de uma campanha publicitária para promover os produtos da marca, o que gerou polêmica entre os consumidores e pessoas que tiveram algum contato com o conteúdo.

A marca de cosméticos e maquiagens protagonizou uma polêmica no Brasil. Estamos falando do comercial “A linda ex”, que demonstrava a história de casais em processo de separação e ganhou fama de “machista” na internet, assim como de “empoderador”. O julgamento de fato da peça publicitária não ficou a cargo do tribunal da internet, mas do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar).

Conforme informações do portal de notícias G1, a entidade que regula tudo que envolve conteúdos de propaganda no Brasil informou que recebeu denúncias de clientes de ambos os gêneros solicitando a remoção do filme publicitário da TV. Em três reclamações encaminhadas para o Conar, o comercial recebe acusação de “reforçar estereótipos machistas”.

O vídeo elaborado pela agência AlmapBBDO aponta três casais em processo de divórcio, os quais relatam os fatores que levaram ao fim da relação.

A ideia da peça era que a marca de cosméticos deixa as mulheres mais atraentes para o dia da ratificação da separação. O filme se encerra apresentando o espanto dos ex-maridos ao ver as futuras ex-esposas bem-arrumadas.

2 Empresa de cosmeticos maquia mulheres no dia do divorcio e ex maridos ficam chocados

Direitos autorais: Reprodução YouTube / O Boticário.

O tema da campanha era “Acredite na beleza”, que sofreu censura na televisão, o que impediu sua veiculação por muito tempo na mídia brasileira, todavia internautas que tiveram acesso à polêmica gravação quando foi divulgado disponibilizaram a peça nas redes sociais e expressaram suas opiniões sobre ela.

Um internauta afirmou que o vídeo era machista, reforçando uma ideia ultrapassada de que, se o casamento chegou ao fim, é porque a mulher “deixou de se cuidar”, na qual “se cuidar” significava estar sempre arrumada para o marido, independentemente se ela precisava cuidar da casa e dos filhos ou se estava atribulada com o trabalho. A pessoa disse, indignada, que o objetivo da marca era fazer com que mulheres comprassem seus produtos por medo de que, sem eles, seus maridos as deixassem.

Apesar do feedback majoritariamente negativo, ainda houve pessoas nas redes que defenderam a ideia passada pela peça publicitária. Uma mulher publicou que tinha achado o comercial lindo e apenas pessoas que passaram por uma experiência de divórcio seriam capazes de compreender o que o comercial queria passar de fato. Segundo sua defesa, o que a marca buscava era apenas valorizar a autoestima da mulher num momento de tamanha fragilidade, como o divórcio, e se para isso fosse preciso usar produtos cosméticos, não havia mal algum.

Com relação à campanha, a marca informou que as histórias são reais, além disso, a proposta do filme era tornar as mulheres mais seguras e confiantes.

Não é a primeira vez que a grife se envolve em polêmica por conta de seus comerciais. Antes disso, lançou uma propaganda protagonizada por casais gays, e mais uma vez se iniciou uma discussão do público.

Nas páginas da marca nas redes sociais, foram feitas várias críticas, mas a maioria das mensagens, nesse caso, foram de elogios, com várias pessoas exaltando a marca por ser a favor do direito de pessoas LBTQIA+ de exercer sua afetividade publicamente, livre de preconceitos e por inovar na campanha do Dia dos Namorados, mostrando um casal gay se amando e se presenteando, ao invés do clichê batido de um casal cis-hétero, composto por um homem e uma mulher no padrão de beleza vigente.

Comente!

Jornalista se torna a primeira pessoa a apresentar noticiário com tatuagem étnica no rosto

Artigo Anterior

Eles apontam defeito em tudo! O zodíaco revelou os 2 signos mais “estraga-prazeres”

Próximo artigo