Comportamento

Empresária é presa por ofensas racistas: “Não quero esse preto na minha loja”

Empresária é presa por ofensas racistas Não quero esse preto na minha loja

Uma discussão entre um entregador e uma empresária acabou com a prisão da mulher depois de ela proferir ofensas racistas contra o homem.



Uma empresária de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, foi presa por ofender um entregador de mercadorias. Joaquim Azevedo trabalhava, na tarde de terça-feira, 15, quando teve de descarregar produtos em uma loja da capital do estado.

A desavença teria começado quando o homem e um colega chegaram à loja, onde se vendem embalagens, para entregar 18 caixas de materiais encomendados pela empresária. Sem querer recebê-los, por causa do horário, a mulher disse para voltarem outra hora.

Os entregadores a convenceram a descer as caixas, no entanto, a mulher pediu que não isso atrapalhasse o fluxo de clientes e nem a entrada no estacionamento.


Ao Campo Grande News, Joaquim disse que a encomenda da mulher estava embaixo de várias outras mercadorias e, para retirá-la, tiveram que descarregar algumas na calçada.

Neste momento, a mulher já havia voltado ao escritório, quando soube que o pedido não foi atendido. Um funcionário disse ao mesmo site de notícias que a mulher não querer que negro voltasse à loja, antes de sair para discutir com os entregadores.

Joaquim perguntou para um dos funcionários onde deveria pôr as mercadorias. Ao conversar com a dona, ela disse de maneira clara: “Não quero esse preto dentro da minha loja.”

Foi então que a vítima manifestou interesse em registrar um boletim de ocorrência contra as ofensas que ouvira.


Ao sair do escritório, e irritada com ambos, a dona do estabelecimento chegou chutando as caixas que estavam na calçada, parte delas bloqueando o acesso ao estacionamento. Como a confusão escalonou, dois policiais militares que estavam nas proximidades foram até a loja para entender o que acontecia.

Segundo Joaquim disse ao Campo Grande News, a mulher disse à polícia que estava mandando esse “preto” tirar as caixas do caminho, porque ela precisava faturar.

A frase foi ouvida por diversas testemunhas e a mulher foi presa em flagrante, pelo crime de racismo. Uma das testemunhas até disse para a afiliada da Rede Globo na região, a TV Morena, que escutou as ofensas e ficou indignada porque a empresária tratava um ser humano como lixo.

Já a mulher disse ao mesmo portal de notícias que os entregadores foram grosseiros quando ela pediu para retirarem as caixas do caminho. Ela também disse que não proferiu nenhuma frase racista nem injúria racial, mas confirmou que não queria que o homem com quem havia discutido, Joaquim, entrasse na loja.


Depois de passar a noite na prisão, na manhã desta quarta-feira, a empresária pagou fiança de dez salários mínimos, ou R$ 10.450, e conseguiu o direito de responder em liberdade. Joaquim ainda disse ao G1 que, em 25 anos trabalhando em Campo Grande, nunca havia sofrido ofensas desse tipo.

O que achou deste texto?

Comente e compartilhe com os amigos!


“Todo amor é sagrado”, diz pastor que celebrou união de duas mulheres!

Artigo Anterior

Grato por se recuperar de covid, dono de restaurante espalha o bem doando comida para necessitados!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.