Comportamento

Empresário paga mais de R$ 15 milhões para mandar alunos para a universidade: “É minha responsabilidade”

Pete disse que era hora de retribuir tudo o que já havia recebido ao longo da vida, já que acredita que não se tornou empresário de sucesso de forma justa.



Em muitos momentos, é preciso a ajuda de alguém (ou de várias pessoas) para bater metas e alcançar objetivos. Vivemos em sociedade, nascemos e fomos criados valorizando as relações interpessoais, independentemente se nos apresentam benefícios ou não, por isso é natural que precisemos ajudar uns aos outros. Dificilmente você vai chegar a algum lugar sozinho.

Uma posição de destaque, um cargo de influência ou mesmo aquela empresa que você sempre sonhou em abrir, nada disso é possível sem a influência ou intermédio de terceiros. Mesmo que não tenhamos nascido em berço de ouro, e seja necessário muito esforço, estudo e dedicação, encontramos ao longo do caminho aqueles indivíduos capazes de nos fazer chegar ainda mais longe.

O empresário e filantropo Pete Kadens pensa exatamente assim. Ele acredita que todas as pessoas que têm dinheiro ou ocupam posições de destaque na sociedade têm que se responsabilizar com os indivíduos mais pobres, pois entende que o dinheiro que recebeu, a posição de empresário que conquistou são um fator das desigualdades na sociedade.


Frequentar as escolas mais caras e a melhor universidade abriu-lhe portas para cargos que outras pessoas não conseguiriam. Mesmo que tenha trabalhado muito, mesmo seu talento e ética não seriam suficientes para ganhar a competição em qualquer emprego.

Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.

Essa consciência fez com que Pete pagasse mais de R$ 15 milhões em mensalidades de alunos do último ano da Scott High School, em Ohio, nos Estados Unidos. O principal objetivo do empresário é garantir a eles a entrada na faculdade, para que tenham novas oportunidades, o que, sem ajuda, provavelmente não conseguiriam, ou demorariam mais para alcançar.

Pete ainda ofereceu pagar a universidade ou escola profissionalizante de todos os pais da escola. Segundo reportagem da CBS News, ele chamou a ajuda de “responsabilidade”. Para ele, aquilo não pode ser encarado como um “presente” ou “doação”, já que não deve existir escolha quando o assunto é reduzir a desigualdade social.


O empresário acredita que a forma como venceu na vida não veio de forma justa, e condena de maneira veemente o que muitos chamam de “meritocracia”. Se não tivesse nascido em uma família rica e frequentado as melhores instituições de ensino, ele jamais teria chegado à posição atual.

Ainda cita uma frase de Martin Luther King, que diz que a história tem um longo e sórdido caminho de pessoas e grupos com privilégios. Ele explica que cansou de proteger os próprios privilégios.

Direitos autorais: reprodução/CBS News.

Mas Pete Kadens quer mais do que apenas mudar vidas, ele deseja que mais pessoas percebam que precisam assumir algumas responsabilidades na sociedade, com o intuito expresso de reduzir a desigualdade social. Pais e alunos da Scott High School se surpreenderam quando o empresário anunciou que todos teriam a chance de concluir os estudos e entrar na faculdade.


A instituição tem as famílias mais desfavorecidas da cidade de Toledo e, para Pete, ele precisava ir ao epicentro da desigualdade, se quisesse mudar alguma coisa na comunidade. Um dos alunos do último ano, Chris Rowland, sempre sonhou em entrar na faculdade, mas sabia que nunca conseguiria pagá-la, pois seu pai morreu em um incêndio e sua mãe perdeu o emprego.

Além das mensalidades, Pete se comprometeu em pagar taxas, alimentação, moradia e livros para que todos tivessem a chance de entrar na universidade. O empresário ainda disse que um dos genitores de cada uma das famílias dos alunos do último ano poderiam também frequentar a academia ou uma escola profissionalizante gratuitamente. Todos ficaram muito animados com a chance.

Motorista de ônibus escolar, que costumava presentear alunos, é surpreendido com um carro novo e aumento!

Artigo Anterior

Marinheiros resgatam cadelinha desaparecida havia uma semana. Estava presa em geleira, no Ártico

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.