Energia financeira: qual o efeito em nossas vidas?

Falar a respeito dos efeitos da energia financeira na vida das pessoas é um verdadeiro desafio, pois o assunto é realmente abrangente, envolvente e pode ser até polêmico, mas se temos que entrar nesta energia, então, que assim seja.

Quando nos referimos à energia financeira, logo se pensa em ($) dinheiro, claro, pois é o objeto físico, materializado que representa a energia financeira, a parte palpável e, desta forma, sabemos que o dinheiro move o mundo no sentido do dito “progresso moderno”de nossa civilização.

Porém a intenção aqui é refletir sobre os efeitos advindos da origem e uso desta energia financeira, se para melhorar nosso mundo e nossas relações ou mesmo se para deteriorá-las e a nós ainda mais.

Como lidamos com a energia financeira pode demonstrar quem somos nós por dentro, se canalizamos esta energia para objetivos legítimos no caminho do bem, para nós e para o próximo ou se armazenamos como se faz em uma represa para controlar um rio, é esta aqui a questão.

Que sabedoria há no acúmulo e não distribuição de uma energia com poder de transformar para melhor nosso mundo?

A energia financeira, assim como toda forma de energia precisa circular e para tanto é necessário movimentá-la, distribuí-la de forma inteligente, de forma que esta energia gere energias positivas e benéficas para o mundo.

A concentração desta energia em poder de poucos ignorantes espirituais só trará sofrimentos aqueles que as detém, reforçando as ilusões do mundo material e fortalecendo erros que serão muito caros e cobrados, já a partir desse plano de existência terrena.

Os espíritos, ao reencarnar, já sabem como será sua vida na terra, (digo o roteiro programado), inclusive sobre o desafio do poder da energia financeira que terão, isso faz parte de suas metas cármicas e pode, conforme eles as utilizarem, facilitar ou mesmo atrapalhar no cumprimento das mesmas.

Aos que já nascem em famílias abastadas, os chamados berços de ouro têm um tipo de desafio pessoal diferenciado daqueles que vindo de famílias simples, alcançam o ápice da energia financeira em suas reencarnações, porém, essa diferença básica entre origens familiares não os impede de alcançarem seus objetivos, desde que não se percam no carrossel de ilusões do mundo material temporário que os cerca.

Só para citar alguns exemplos da história humana, recordemos a história de Buda (Sidharta Gautama), que era um príncipe, nasceu e foi criado rodeado de riquezas e comodidades materiais exacerbadas e, ainda assim, a consciência daquele espírito não se deixou seduzir pela energia financeira e cumpriu com louvor sua missão na terra.

Também outro exemplo marcante é o de Francisco de Assis, nascido de uma das famílias mais ricas de comerciantes italianos, não se deixou contaminar e cumpriu igualmente com louvor sua missão terrestre.

Alguns espíritos, quando começam a desenvolver na terra sua energia financeira, se perdem como em um parque de diversões, compram o ingresso e querem brincar em todos os brinquedos, indiscriminadamente, esquecendo-se do acontece à sua volta, do que existe além do parque de diversões, da realidade e do objetivo da vida temporária que têm e ignoram que cada vez mais se aprofundam num imenso buraco, seduzido pelas ilusões materiais.

Aqueles que conquistam a energia financeira no decorrer da vida, vindos de uma origem simples, quando têm um pouco mais de conhecimento espiritualizado costumam empregar com sabedoria a energia financeira abundante que lhes foi concedida nesta vida.

Porém há aqueles que se esquecem de sua origem e, ignorando a espiritualidade por trás da energia financeira, tornam-se concentradores e praticam o desperdício utilizando a energia financeira para reforçar a vaidade pessoal e demonstrar (falso) poder no mundo físico.

Há também aqueles que tentam de todas as formas, sem escrúpulos e até se valendo de desonestidades e meios escusos para obter o domínio da energia financeira, não sabem eles que de acordo com as leis espirituais, “o que não é legítimo, não se sustenta” e acabam assim construindo castelos de areia na beira da praia, onde o mar a seu tempo os dissolve numa fração de segundo.

Devemos entender que obter na terra abundância de energia financeira pode ser uma benção e é uma responsabilidade que deve ser bem administrada, aproveitada não só para si, mas para a humanidade como um todo.

Para alguns, pode ser também uma maldição, resultado de um teste de caráter, respeito e honra para com as leis universais.

Desejo a todos uma boa sorte com abundância financeira, sempre acompanhada de um bom pacote de sabedoria espiritual.

Sejam felizes e boa sorte!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: photobuay / 123RF Imagens



Deixe seu comentário