Comportamento

Covid-19: homem com síndrome de Down, que foi abraçado por enfermeiro, piora e família tenta vaga em UTI

Emerson, de 30 anos, precisa de uma vaga na UTI para receber o tratamento adequado e se recuperar da doença.



Na última segunda-feira (25), um registro comovente foi realizado em um hospital de campanha em Caapiranga, no interior do Amazonas.

Segundo informado pela UOL, Mirene Borges da Silva estava no local para tratar-se de covid-19, quando presenciou um ato muito especial de um dos enfermeiros com um paciente com síndrome de Down, com a mesma doença.

Émerson Júnior, de 30 anos, estava debilitado e sofrendo com falta de ar, mas como sentia dor no nariz e estava usando sonda, não queria colocar a máscara de oxigênio. Ao perceber o medo do paciente, o enfermeiro Raimundo Nogueira Matos aproximou-se dele, ganhou a sua confiança e então o abraçou, transmitindo-lhe confiança para realizar o procedimento necessário.


Ao ver aquela cena de carinho e empatia, Mirene tirou algumas fotos, que comoveram muitas pessoas. Ela descreve Raimundo como um “anjo”, que ajudou a livrar Émerson da agonia.

Direitos autorais: Mirene Borges/reprodução UOL.

No entanto, depois desse momento muito especial, Émerson está vivendo uma realidade preocupante.

Uma atualização sobre sua situação foi publicada horas mais tarde, pela UOL. Segundo o portal de notícias, o homem, que está internado no hospital de campanha de Caapiranga há seis dias, teve piora em seu estado e sua família tem feito apelos nas redes sociais para que ele seja transferido para Manaus e continue seu tratamento em um leito de UTI da capital.


Segundo Raimundo, o nome de Émerson está no sistema há quatro dias, esperando um leito, mas até agora o hospital de campanha não obteve retorno. O enfermeiro ainda disse que Émerson é um paciente grave, que precisa muito de uma UTI.

Eliane Ferreira Loureiro, irmã de Émerson, que o acompanha todos os dias, diz que o homem não suporta mais tanto sofrimento e que está ficando “sem tempo”.

Uma nova foto, mais recente, mostra Émerson usando novamente uma máscara de oxigênio ao lado de Raimundo, mas dessa vez em situação mais crítica que a anterior.

Direitos autorais: arquivo pessoal/reprodução UOL.


A UOL entrou em contato com a Secretaria de Saúde do Amazonas, que disse que Émerson está recebendo assistência suficiente para tentar estabilizar seu quadro e que ainda não há condições clínicas que garantam sua remoção para Manaus com segurança.

A secretaria também explicou que as remoções seguem critérios definidos pelos médicos do Complexo Regulador. Entre esses critérios, estão a gravidade do caso e condições clínicas para o transporte aéreo ou terrestre.

Compartilhe o texto em suas redes sociais!


Israel experimenta queda de 60% na internação de idosos após a 1ª dose da vacina Pfizer

Artigo Anterior

Biden aponta rompimento de aliança antiaborto com o Brasil

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.