Enquanto muitos tentam limitar as pessoas, outros percebem que elas têm dons diferentes…

Pessoas tachadas como diferentes, são muitas vezes, incompreendidas e até ignoradas por grande parte das pessoas que as cercam, fazendo com que as mesmas se tornem alienadas por conta de um isolamento forçado e que faz com que se sintam fora da realidade do nosso mundo. A sociedade da qual fazemos parte, tem uma tendência a excluí-las, desclassificando suas habilidades e qualidade, por serem diferentes.

A verdade é que, enquanto são diferentes ao ponto de vista de algumas pessoas, com certeza a humanidade estará sempre sendo beneficiada com essas “diferenças”.

É importante que observemos que a cada dia que passamos limitando essas pessoas, fazemos com que, de alguma forma, elas morram um pouco de cada vez, portanto devemos ter o cuidado de não limitar essas pessoas, e sim descobrirmos e nos adaptarmos aos seus diferentes dons.

É o pior de tudo, é que algumas pessoas fazem isso por egoísmo, embora algumas o façam por ignorância mesmo. Assim, morre um pouco a pessoa discriminada, mas morre um pouco também aquela que a discrimina, porque suprime algo que deveria revelar ou mesmo a quem poderia ser, porquanto o crescimento mútuo é necessário.

Quando você deixa de fazer a mesma coisa que eu faço, não significa que você seja menos capaz do que eu,

É importante observar, que uma pessoa não fracassa ao escolher sabiamente fazer algo que tenha aptidão, em detrimento daquilo que porventura lhe seja imposto para que se encaixe em determinado nível da sociedade. É simplesmente uma forma de se libertar daquilo que a impede de crescer e de colaborar com o crescimento da civilização, da sociedade da qual faz parte. Nos vários segmentos das profissões, existem suas especialidades. Imagem, por exemplo, se na medicina tivesse apenas uma especialidade, e que ainda assim, na cirurgia tivesse apenas a cirurgia do aparelho digestivo, e assim por diante.

O primeiro passo para que respeitemos a limitação de cada um, é olharmos para nós mesmos, para a nossa incapacidade de absorvermos algumas coisas no nosso dia a dia, isso é, escolher algo que temos o cuidado de proteger, porque não somos capazes de refazer, de consertar, enfim, de restaurar sem a ajuda de outra pessoa. Isso é muito simples, imaginem o mundo sem o gari, sem o lixeiro que muitos julgam tão insignificante.

Avaliando com calma tudo que nos cerca, aprendemos a valorizar aquilo que tem em cada ser vivente, aquilo que o inspira e que o impulsiona a fazer aquilo que mais gosta e que o deixa feliz.

Ainda que não seja visto como alguém que mereça honra, cada um tem sua importância no contexto social.  

Ao entendermos que todos têm sua limitação, vemos as coisas com uma intenção positiva. E quando dizem ou fazem algo que está além ou aquém da nossa compreensão, visto que somos humanos não deuses, fica mais fácil compreender o porquê de qualquer escolha. E ao entendermos isso, aprendemos a lidar com a verdade daquela frase de um autor desconhecido que diz: “Ninguém é tão alguém que não precise de ninguém”.

Enfim, ninguém vive só. Essa é a lei do universo. E fazemos parte de um todo. Todos têm algo para dar, mas precisa também receber. Só para o amor não há limites.

___________

Direitos autorais da imagem de capa: nd3000 / 123RF Imagens



Deixe seu comentário