publicidade

Então, eu me peguei irada…

Você já se pegou irada alguma vez na vida?

Me senti assim esta semana. Irada. A ira é horrível, nos torna intolerantes, dominados, atritivos. É uma força primitiva que parece que nos tira a capacidade de amar.



Mas meu pai, que sempre cito em minhas pequenas notinhas, e é psiquiatra, diz que a ira é um sentimento que sendo utilizado de forma positiva é necessário para proteger nosso território. Se você não lida bem com essa energia humana necessária, ela pode ir aos dois extremos. A falta da ira te deixa à mercê do auto anulação, do enfraquecimento de si mesmo, e abrimos a guarda para aproveitadores de todas as espécies.

Fiquei irada porque me deixei levar pela emoção, me deixei ser enganada e pior não me perdoei por isso.

É claro que quando me toquei do sentimento da ira, chorei e fiquei meio perdida, com mais ira ainda. Mas se você entra nesse labirinto da dor, você gira em torno da ira e reforça o sentimento, e chora, e gira, e grita e pira e acha que está tudo errado e acha um dono para o erro.

Mas se ao contrário, começa a andar em linha reta, mesmo que acertando algumas paredes parece que começa a tentar transformar essa energia negativa em ação positiva urgente. A primeira coisa que fiz foi olhar para frente e, ali na minha frente, vi três cartinhas lindas: uma da Fernanda Cancio, uma da Ju Saad e uma da Karina Dayan, todas assistentes maravilhosas que quando alcançaram a independência me deixaram uma carta de amor, de ternura e uma eterna lembrança de que é para frente que a gente deve olhar sempre.

Depois coloquei o áudio Desireless do Eagle-eye Cherry, e fiquei dançando na frente do computador enquanto tentava escrever e deixar a ira de lado que a essa altura já estava virando birrinha de criança, né?

Comecei a me lembrar de que já fiz coisas magníficas este ano e faço um monte de coisas que definitivamente me tornam uma pessoa mais feliz. A ira foi necessária.


Fez-me reagir contra uma injustiça que haviam cometido contra mim, mas de forma saudável me impulsionou para o futuro e me fez hoje uma pessoa mais humana, menos primitiva e mais madura.

“O pecado é o excesso do bom” — Santo Agostinho


Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.