6min. de leitura

Entenda o poder da palavra: elas são importantes e têm o poder de construir ou destruir!

As palavras são importantes. Nossa língua tem o poder de construir ou destruir. Uma das nossas habilidades mais poderosas é a capacidade de nos comunicarmos através de muitos meios.

As palavras que escolhemos, o tom e inflexão podem fazer a alma de uma pessoa flutuar ou criar buracos em seu coração. Todos nós já fizemos isso, e já o fizeram conosco também.


Mas como nós podemos pensar consistentemente antes de falar?

Tornando-se um observador astuto

Observe as pessoas. Ouça o seu tom quando se dirigem umas às outras. Observe as palavras que elas escolhem. Então, faça essa mesma observação sobre si mesmo. Como você mede suas palavras? Suas palavras inspiram os outros ou os assustam? Repare nas reações das pessoas, da próxima vez que iniciar uma conversa.


Ouça mais e fale menos

Algumas pessoas processam em voz alta, por isso não oferecem soluções muito rapidamente. Deixe-os divagar através de seus sentimentos e emoções para que eles possam desembaraçar seus pensamentos. Colocar-se no lugar da outra pessoa pode lhe indicar um melhor ponto de vista para a sua perspectiva. Ouça com a mente aberta. Concentre-se no que a pessoa está dizendo e mantenha suas opiniões para si. Uma vez que você tem a história inteira, aí você pode oferecer seu ponto de vista.


Pare de julgar as pessoas tão rápido

Cada pessoa tem uma história, leva tempo para se conhecer alguém. Tente ver além das máscaras e das informações limitadas. Seu trabalho é aceitar em que lugar cada pessoa está em sua jornada e deixá-los contarem sua história. Tente não ser rápido para querer dar conselhos ou uma solução. Às vezes, tudo que as pessoas precisam é de um ouvido simpático.



Escolha suas palavras com cuidado.

Elimine do seu vocabulário todas as palavras que atraem energia negativa para a sua vida e para os outros. Substitua estas palavras que drenam toda a energia positiva das conversações. Mude a maneira que você fala de si mesmo. Cite versos, discursos, citações positivas, qualquer coisa para parar as conversas internas degradantes.


Entenda suas próximas palavras.

Ouça atentamente. Lembre-se do que as pessoas dizem. Não interrompa, nem finja que o problema não é seu. Fique longe de frases como “Vai ficar tudo bem”, “Supere isso”, “Isso não é o fim do mundo”. Não fale sobre esses problemas como se eles fossem iguais os seus. Evite minimizar a situação. Não mude de assunto, deixe-os falar. Então, meça suas próximas palavras com cuidado. Tente discernir como suas palavras serão ouvidas ou sentidas, como se você fosse o receptor. Então, lembre-se de que nem todos respondem da mesma maneira que você.



Dê um bom feedback.

Quando alguém compartilha algo difícil, tente resumir o que entendeu antes que você queira sair dando conselhos. Tente dizer, “Corrija-me se eu estiver errado, mas eu acho que ouvi você dizer…” para resumir o que eles lhe disseram. Então lembre-se se eles estão compartilhando algo errado que eles fizeram, você não precisa dizer-lhes ou lembrá-los, eles já sabem que estavam errados. Palavras como: “Eu te disse” ou “O que você estava pensando?” não melhorarão o tom da conversa e muito menos os ânimos da pessoa que está se abrindo.


Peça permissão.

Depois de uma pessoa tiver desabafado e você compreendeu tudo, peça permissão para dar-lhes uma solução ou conselho, dizendo: “Eu tenho algumas ideias, você quer saber o que eu acho?” Se eles disserem que não, então deixe-os sozinhos por mais um tempo, mas se eles disserem sim, mantenha o foco e tenha cuidado com o que dirá em retorno. Será tentador dizer tudo o que você pensa, mas isso seria como lançar um jato de uma mangueira de incêndio em alguém que pediu apenas um copo d’água.


Dê-lhes crédito.

Lembre-se, para que seus conselhos caiam em solo fértil, você precisa ter um ouvinte receptivo. Uma maneira de ajudá-los a ouvir suas palavras é usando a técnica do sanduíche. Diga palavras duras entre elogios.


Entenda as mensagens silenciosas.

Esteja ciente da mensagem que a linguagem corporal pode transmitir. Vire-se para a pessoa, faça contato visual, e não faça outra coisa enquanto eles estão falando. Ouça atentamente e, ocasionalmente, responda com uma palavra de apoio ou duas.

Escolha suas palavras sabiamente. Este artigo foi útil? Já aplicou estas técnicas em alguma conversa? Conte-nos nos comentários!

_______

Traduzido pela equipe de O Segredo  Fonte: Good Men Project

 

Direitos autorais da imagem de capa: djoronimo / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.