Comportamento

Escola cristã expulsa menina de 8 anos por dizer à amiga que gostava dela

A decisão da escola tem dado o que falar. Saiba o que aconteceu e conheça os dois lados da história!



Um caso bastante polêmico e inusitado aconteceu na cidade de Owasso, Oklahoma, nos Estados Unidos, nos últimos dias de janeiro. Uma menina de 8 anos foi expulsa da escola em que estudava por dizer a outra estudante que tinha uma “queda” por ela, de acordo com a CNN.

Delanie Shelton, mãe de Chloe Shelton, que está na segunda série, contou ao canal de notícias que a filha falou com a amiga no meio do mês de janeiro, durante um momento no playground da escola.

Segundo Delanie, depois da declaração, a filha foi imediatamente retirada do playground e passou horas na sala do diretor, o que a fez perder as aulas. Ela informou que, antes mesmo de ser avisada sobre o incidente, o vice-diretor da instituição disse à menina que a Bíblia diz que as mulheres só podem ter filhos com homens.


Posteriormente, o superior perguntou a Delanie o que ela achava sobre meninas gostarem de meninas, e ouviu que ela não enxergava problema nisso. Os superiores da escola disseram que Chloe não precisava voltar à escola.

No dia seguinte, Delanie recebeu uma ligação do superintendente da escola, Joel Pepin, dizendo que a instituição estava “terminando sua parceria” com a família e expulsando Chloe e seu irmão, de 5 anos. Ele explicou que as crenças da escola não eram as mesmas da família.

Delanie afirmou que foi pega de surpresa pela situação e que sentia raiva, tristeza e indignação. Ela ainda chegou a pedir mais uma reunião, mas ouviu que nada mais precisava ser discutido.

Direitos autorais: reprodução Fox23.


Pepin deu uma declaração à CNN se recusando a falar sobre o caso, por conta da privacidade e porque a escola tem a política de evitar comentários públicos sobre qualquer aluno ou família.

Segundo o canal de notícias, o manual da escola diz que ‘imoralidade sexual’ é motivo para demissão, seja por parte dos alunos ou professores.

Além desses requisitos, os alunos da escola também não podem realizar demonstrações públicas de afeto, como abraços, beijos e dar as mãos. A gravidez também gera expulsão, embora, em alguns casos, o aluno possa estudar em casa, para que seu “mau exemplo” não seja seguido.

Delanie afirmou que não leu totalmente o manual da instituição antes de matricular a filha, 4 anos atrás, mas que não tinha como saber que a filha desenvolveria esse sentimento por uma colega.


A mãe ainda afirmou que a declaração de Chloe não configura nenhum tipo de relacionamento e complementou dizendo que, para uma menina de sua idade, isso pode significar que apenas aprecia a companhia da colega.

As consequências da expulsão foram pesadas para Chloe. Delanie contou que a menina chorou bastante e chegou a questionar se Deus ainda a amava.

Após a repercussão da história, a menina recebeu cartas e mais de 150 mensagens de pessoas de encorajamento.

Direitos autorais: reprodução Fox23.


Uma das pessoas que a ajudou foi Kylie Holden, atualmente com 26 anos, que já estudou na escola e hoje se considera bissexual. Ela disse que as memórias do que passou na escola voltaram ao ler sobre Chloe, e que esse tipo de experiência é carregada pela vida toda.

Por isso decidiu ajudar a família, oferecendo-se para montar pacotes de cuidados para a família. Pessoas do país todo e até mesmo do Canadá também ajudaram com presentes, dinheiro e cartões.

Kylie ainda disse que não quer que a menina cresça acreditando que não tem valor, pois isso não é verdade. Toda a onda de gentileza tem feito com que a menina se sinta amada e apoiada, segundo a mãe. Ela também afirmou que Chloe está animada para recomeçar em outra escola.

Qual sua opinião sobre esse caso?


Comente abaixo nos comentários e compartilhe o texto em suas redes sociais!

Nossa Senhora da Luz, guie os meus passos pelas trevas e me ajude a alcançar a vitória!

Artigo Anterior

Cientistas desenvolvem “Cavalo de Troia”, que ataca células cancerosas sem uso de drogas

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.