ColunistasCrônicas

Escuta, você quer entrar?

Você pode ficar aí se quiser, sério.



Fico aqui do outro lado se isso te passar segurança. No seu tempo, ok?!

Mas olha: tem pudim na geladeira. Tem certeza que não quer entrar?

Ah, eu também arrumei a casa para te receber. Faz um tempão que brequei as visitas que apareciam para o café da tarde e iam embora antes do anoitecer.


Há tempos cortei relações com fantasmas de outrora, eles não me assombram mais, na verdade, não há espaço para aparições seguidas de sumiços repentinos na minha vida. Te disse: a casa está limpa!

(Entra, vai!)

Mudei a decoração da sala para te deixar super à vontade. Pintei as paredes com cores vivas e quentes para te fazer sentir mais viva.

Comprei todos os CDs do Lenine – me disseram que você morre de amores por esse pernambucano arretado – e deixei na estante, caso você queira ouvir enquanto estiver aqui.


Poderia ter criado uma playlist no Spotify, mas você merece um esforço maior, porque gosta de plataformas online, mas pira com o que é possível tocar; você diz que CD tem um charme que plataforma nenhuma pode ofuscar.

Na real, entrar em trocentas lojas de música e ouvir centenas de histórias contadas por vendedores hipsters não foi tão difícil assim, até que eles eram simpáticos. Troquei os livros da prateleira. Comprei Drummond, Rubem Alves, Carpinejar e, segura essa: CAIO FERNANDO ABREU! UUUH! Golaço, fala aí?!

(Entra, vai!)

Nas manhãs frias prometo café forte, pão na chapa estrumbado de requeijão e senso de humor capaz de desmontar a carranca – facilmente confundida com figurante de Walking dead – que você põe no rosto. Não se preocupe com os dias quentes, pois a geladeira foi cuidadosamente abastecida com a sua cerveja preferida.


Se você decidir entrar e quiser ficar, me arrisco até a cantar a sua música preferida, mesmo que meu inglês seja tão vagabundo quanto o último amor da sua vida, aliás, você ainda chora antes de dormir? Pior, ainda acha que a culpa foi sua e que poderia ter feito diferente? Ah, para! “Look at the stars / Look how they shine for you / And everything you do”, eu tô treinando.

Tem certeza que não quer entrar?

Eu aprendi a fazer brigadeiro. Não acha um bom negócio trocar essa amargura que aperta o seu peito por algo doce e leve?

Se não quiser a opção número um, tem beijinho, abraço e cafuné também. Prometo não reparar na sua bagunça e se você deixar, posso te ajudar a arrumar tudo, mas só se você quiser. Entra. Senta.


A propósito, o que vai querer para o jantar?

____________

Direitos autorais da imagem de capa: yacobchuk / 123RF Imagens


Os movimentos pendulares da vida…

Artigo Anterior

Seguimos mudando e nos transformando pelo caminho. Nem todos serão capazes de acompanhar nossos voos…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.