8min. de leitura

Esgotamento psicológico: quando ultrapassamos todos os nossos limites…

O esgotamento psicológico acontece quando nós ultrapassamos todos os nossos limites, quando vivemos vida de excessos, de pensamentos, decisões, obrigações, trabalho… e não dedicamos tempo para cuidarmos de nós mesmos. Dessa maneira, nós nos tornamos debilitados, tanto física, quanto mentalmente. 



Infelizmente, essa condição está muito presente em nossa sociedade, tendo em vista que trabalhamos cada vez mais para conquistar nossas próprias coisas, e nos esquecemos de que nem todos os bens que possuímos são materiais. Nossa saúde é um de nossos maiores presentes, e precisamos zelar por ela.

Quando utilizamos nossos cérebros de forma saudável, eles trabalham muito diferente de quando estão cansados, esgotados. Baseado nesse conhecimento, o neurocientista Matthew Walker provou, a nível laboratorial, que aqueles de nós que vivem mentalmente cansados tendem a ser mais negativos em relação à sua realidade de vida.

É comum nos sentirmos cansados e desanimados com a vida, por vezes. No entanto, o esgotamento psicológico nem sempre é uma consequência direta de nossos erros e fracassos, e não reflete o quanto somos capazes de construir as vidas que desejamos para nós mesmos. Como dito no início do texto, o que causa essa condição, na maioria das vezes, é a grande quantidade de responsabilidades que vamos assumimos inconscientemente.



Esgotamento psicológico: uma condição que está se tornando comum

Para entender melhor sobre o esgotamento psicológico, preste atenção neste exemplo.

Imagine uma pessoa realmente satisfeita com sua vida. Está se desenvolvendo no trabalho, fazendo algo que gosta, conquistando vitórias em sua vida pessoal e formando uma bela família com um parceiro a quem verdadeiramente ama. Tudo em sua vida parece ser digno de gratidão e ela não vive nenhum problema significativo.

Parece que está tudo ótimo, não?! No entanto, apesar de tudo isso, essa pessoa vive um dilema interno, não consegue tomar decisões com a mesma certeza de antes, sente-se “para baixo”, tem dificuldade em focar naquilo que realmente importa e mal consegue descansar ao final do dia; seu sono está totalmente comprometido.


Ela se sente totalmente confusa. Por que está se sentindo dessa maneira quando vive a melhor fase de sua vida? Algo em seu interior indica que algo está errado.

Observadores externos podem analisar a situação de forma diferente e chegar a conclusões que realmente ajudariam essa pessoa a compreender melhor o que realmente está acontecendo.

A protagonista de nosso exemplo está vivendo um momento de muitos acontecimentos significativos. Mais responsabilidades no trabalho, uma família para cuidar e valorizar, um (a) filho (a) para chegar, casas e contas para pagar, uma pressão interna e externa para fazer “tudo certo”. São muitas coisas em sua mente ao mesmo tempo e ela sente que está perdendo o controle. Nessa situação, o esgotamento mental surge com toda a força, e aos poucos começa a impactar todas as esferas de sua vida.


Compreendendo os sinais e consequências do esgotamento psicológico

Veja abaixo alguns dos principais sinais do esgotamento psicológico.

  • Exaustão física e falta de energia. O esgotamento psicológico também pode chegar ao nível físico, e dessa maneira nós acordamos pela manhã certos de que não seremos fortes o suficiente para lidar com aquilo que nos aguarda.
  • Problemas de sono e insônia. Esse problema começa de maneira mais “leve”, apenas acordamos durante a noite. No entanto, com o passar do tempo vai se tornando mais grave, e nos sentimos incapazes de adormecer, apesar de todo o cansaço.
  • Perda de memória. As pessoas que sofrem de esgotamento psicológico podem ser vítimas de uma alteração cognitiva conhecida como “efeito de desinformação”, de acordo com um artigo publicado na revista “The Journal of Forensic Psychiatry & Psychology”. Essa condição prejudica nossa memória, nos fazendo confundir informações, lembrar de certas situações de uma forma incorreta e confundir pessoas e momentos vividos.
  • O esgotamento psicológico também desperta sintomas físicos, como aumento ou perda de apetite, dores de cabeça, palpitações, problemas digestivos…
  • Emocionalmente, as pessoas que sofrem de esgotamento psicológico tendem a se sentir mais sensíveis e, ao mesmo tempo, pessimistas e ansiosas.
  • Outro sintoma complicado dessa condição é a incapacidade de aproveitar as coisas como antes, de sentir satisfação e prazer com a vida, de manter as esperanças e de enxergar o mundo mais colorido do que antes.

Enfrentando o esgotamento psicológico

Além dos excessos da vida, outro grande fator que contribui para o desenvolvimento do esgotamento emocional é a pressão de todas as coisas que desejamos fazer mas acabamos não fazendo. Todas as coisas que nos propomos a realizar mas acabamos deixando de lado, porque não podem ser encaradas com verdadeiras prioridades. Por fim, nós acabamos atingindo nosso limite, e nos sentimos totalmente impotentes.

Quando nos encontramos nessa situação, a primeira coisa que precisamos fazer é analisar nossa realidade para compreender o que realmente está acontecendo conosco. Ao escolhermos abrir nossos olhos e enfrentar a situação, impedimos que ela se torna maior e mais assustadora.


Abaixo estão 3 passos que devemos colocar em prática para lidar com o esgotamento psicológico:

1. Permitir-se a oportunidade de se reencontrar

Quando convivemos com o esgotamento psicológico, podemos acabar sendo superados por todos os “excessos”, e nos esquecermos de quem realmente somos. Isso apenas nos mantém estagnados em um padrão tóxico de vida. Tenha em mente que é necessário tempo e espaço para se reencontrar. Dedique um tempo, todos os dias, para apenas existir, afastando-se de todos os estímulos externos.


2. Estabelecer prioridades em sua vida

Estabeleça prioridades para que possa dedicar-se de verdade às coisas que realmente são importantes para você, aquilo que você ama e que o faz feliz. O resto é apenas resto e não merece tanto investimento emocional.


3. Aprender a ser menos exigente

Entenda que você é um ser humano normal, não tem superpoderes. Apesar de poder evoluir, a perfeição sempre estará longe demais para ser alcançada. Aproveite sua vida a dê sempre o melhor de si, mas elimine toda a pressão ao seu redor. Seja mais leve!

Nós vivemos em um mundo exigente e imediatista, mas isso não deve nos privar do autocuidado. Nós não somos robôs, temos pele, carne, coração e sentimentos, que devem ser valorizados e cuidados da melhor maneira possível. Aprenda a enxergar-se como prioridade e cuide de si mesmo da mesma maneira que cuidaria da pessoa mais importante em sua vida. Sua saúde mental agradece.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: dundanim / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.