Notícias

Espanha proíbe venda de frutas e vegetais em embalagens plásticas a partir de 2023

vegetais

A Espanha definiu o dia para banir – pra sempre! – a venda de frutas e verduras em embalagens plásticas nos supermercados e mercearias do país: 1º de janeiro de 2023.



Esta é uma das medidas da lei elaborada pelo Ministério da Transição Ecológica.

A nova legislação também contém portarias para incentivar a compra de produtos frescos e não-embalados, além da compra de água não-engarrafada.

A proibição de embalagens de frutas e vegetais se aplicará a produtos com peso inferior a 1,5 quilo, seguindo legislação semelhante aprovada na França, que entrará em vigor no ano que vem. O governo espanhol quer “combater o uso excessivo de embalagens da maneira mais eficaz”, disse um porta-voz do ministério da transição ecológica.


Grupos ambientalistas na Espanha e no exterior vêm fazendo campanha há anos para impedir que verdureiros e grandes supermercados empacotem produtos frescos em camadas e mais camadas de plástico desnecessário.

Julio Barea, ativista da ONG Greenpeace, disse que concorda com a proibição, mas acrescentou que é importante ver “como ela será aplicada” no final. “Bebemos plástico, comemos plástico e respiramos plástico o tempo todo”, lamentou ele sobre o uso excessivo do plástico no dia a dia dos espanhóis.

O decreto do governo também prevê obrigar as autoridades em todos os níveis da Espanha a “incentivar a instalação de bebedouros em espaços públicos” e “introduzir alternativas à venda de bebidas engarrafadas”, bem como a reverter “a distribuição de copos descartáveis” em eventos públicos, a partir de 2023.

O governo está trabalhando em medidas para incentivar os varejistas a vender produtos frescos sem embalagem. Os clientes podem trazer os seus próprios contentores reutilizáveis, embora as condições de higiene devam ser definidas pelos estabelecimentos.


De olho na reciclagem

Um dos principais objetivos do projeto é reduzir pela metade a venda de garrafas plásticas para bebidas até 2030, e que 100% das embalagens do mercado sejam recicláveis.

O documento diferencia garrafas de vidro e plástico rígido, que podem ser reutilizadas, do resto. Hotéis, restaurantes e lanchonetes devem usar garrafas reutilizáveis ​​a uma taxa de 50% até 2025, e em 2030 devem representar 60%.

No caso da cerveja, as metas são de 80% em 2025 e 90% em 2030. Para refrigerantes, as metas são 70% e 80%. As metas são menos ambiciosas quando se trata de consumo doméstico: 10% de todas as embalagens de bebidas devem ser reutilizáveis ​​até 2025 e 20% até 2030.


Pai esfaqueia próprio filho por gosto musical

Artigo Anterior

Menino de 2 anos sabe ler, escrever e contar em vários idiomas

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.