Esquecimento é amnésia. Perdão é lembrar sem sentir dor

É impossível que, na vida, não nos tenhamos ferido em algum momento. Todos já passamos por situações adversas que nos magoaram.

A dor da mágoa sempre é originária do sentimento que nutrimos por alguém. Não se é magoado por um estranho. Se sofremos alguma agressão verbal ou física de um estranho, sentimos raiva, ira, ódio ou qualquer nome que se queira dar, menos mágoa.

A mágoa nos é oferecida por alguém que gostamos muito ou por alguém que amamos. Quanto maior o sentimento que temos por essa pessoa, maior a mágoa causada e mais tempo levará para ser curada.

Como se livrar disso?

Não devemos deixar que a ferida se instale. Isso não diz respeito somente ao perdão que deve ser dado a fim de que libertemos a pessoa que nos feriu, mas também sobre e, principalmente, nós mesmos. Lembre-se que um carcereiro é tão prisioneiro quanto o condenado. Enquanto o condenado estiver preso, ele é responsável por ele, ou seja, ele acaba “cumprindo” a pena conjuntamente. Sendo assim, guardarmos a ira por tempo demasiado, acaba por nos corroer como uma ferrugem que se alastra no ferro que é deixado no meio do mar. É preciso que esse ferro seja tirado daquele meio inóspito e seja tratado para que ele possa ser restaurado. Se ele permanecer ali, não terá recuperação.

A mágoa é uma doença que começa com a ira mal curada e que, infelizmente, procede de pessoas feridas.

Se formos analisar o passado delas ou, até mesmo, o presente, encontraremos o ódio cercando-as e, elas, acabam por transferir esse sentimento para outros. Isso não justifica que ela aja dessa maneira. O fato de termos problemas, não nos dá o aval para ferir a quem quer que seja. Ninguém tem culpa pelo que outros nos fizeram.

No entanto, a mágoa só se infiltra quando a recebemos de bom grado. Ao estarmos diante de uma situação onde a mágoa nos começa a ser legada, devemos nos retirar imediatamente, percebendo antes que ela se instale. Numa discussão acalorada, frequentemente, isso acontece. Para consertar essa situação, vai depender de o quanto você tem interesse nesse conserto e se você será capaz de não ter mais esse sentimento destrutivo.

Há quem confunda o perdão com o esquecimento. Esquecimento é amnésia. Perdão é lembrar sem sentir dor e sem ficar incomodado com aquilo.

Se sentimos que teremos esse incômodo, mais sensato é nos afastarmos por um tempo ou para sempre da pessoa que nos magoou a fim de não cutucarmos mais a ferida.

Criando uma pequena relação com as semelhanças das palavras, como faria um poeta, podemos, mesmo, dizer que a mágoa é a água amarga que brotou do coração de alguém que resolveu dá-la de beber a nós.

O que nos pode salvar desse veneno é a percepção de que algo vai mal antes ou durante a discussão, fazendo com que não bebamos dessa água amarga.

Mais vale a solidão pacífica que os muitos companheiros numa guerra.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/Imagens



Deixe seu comentário