Comportamento

“Essa doença não existe”: turistas lotam praias de Santos (SP) no feriado de carnaval

Turistas não deixaram de aproveitar o feriado de carnaval, mesmo durante a pandemia. Praias da cidade ficaram lotadas.



A pandemia não tem impedido muitas pessoas de viverem tranquilamente.

No feriado de carnaval deste ano, no estado de São Paulo, apesar de o ponto facultativo ser cancelado, turistas lotaram as praias de Santos.

Segundo o UOL, milhares de pessoas comemoraram o feriado longe das máscaras, que agora são obrigatórias por lei, e muitas aglomerações eram vistas sob os guarda-sóis locais. A lotação fez com que os vendedores ambulantes disputassem os clientes que não paravam de chegar à baixada santista.


O calor, que fez a sensação térmica subir para 36 graus, não pareceu desanimar os banhistas, que curtiam o momento perto dos locais em que se vendiam bebidas.

Muitas das pessoas que estavam nas praias possuem uma opinião bem definida sobre a pandemia de covid-19. Uma das banhistas ouvidas pelo UOL, Letícia Bezerra, de 29 anos, disse que se não “aproveitarem agora, correm o risco de ficar sem nada”.

José Dimas de Souza, de 78 anos, revelou que “se tivesse medo de pegar essa doença”, não teria ido à praia. Sobre estar no local, sem máscara, ele se mostrou tranquilo, pois se vacinará nesta semana, e acredita que, “mesmo que estiver doente, vai passar”.

Outro entrevistado mostrou uma opinião bastante firme, que reflete o pensamento de muitos brasileiros nos últimos meses.


O advogado aposentado João Carlos de Andrade, de 75 anos, que também não usava proteção, disse que a covid-19 não existe e que “o que existe é uma mentira criada pelo governador e pelos chineses para tirar a liberdade da gente”.

Ele ainda acrescentou que o seu médico já havia lhe alertado que ela é “uma gripe fraquinha” e que se tomar “o kit covid do Bolsonaro, o vírus morre na hora”.

A cidade de Santos liberou o acesso da população às praias porque está na fase amarela do Plano São Paulo. No entanto, algumas condições foram estabelecidas. A proibição do uso de guarda-sóis, esteiras, tendas e barracas por banhistas está entre elas.

As pessoas só podem praticar esportes individualmente, e com o uso de máscara. Só pode haver dez carrinhos de alimentação na faixa de areia, com duas cadeiras cada um, e o atendimento não pode ultrapassar 12 horas diárias.


No entanto, segundo o portal de notícias, as regras não foram cumpridas, especialmente por parte dos turistas. A funcionária de um dos carrinhos da praia do Embaré disse que “o pessoal abusa”, referindo-se aos turistas aglomerados embaixo de apenas um guarda-sol.

O que você acha sobre isso? Acredita que os turistas estão certos em aproveitar o feriado nas praias?

Comente abaixo e compartilhe o texto nas redes sociais!

 


Direitos autorais da imagem de capa: Depositphotos.

“Se sente protegida e não está”, diz médica sobre pacientes que fazem “tratamento precoce” contra covid

Artigo Anterior

Última mensagem de mãe a suas filhas antes de morrer de covid-19: “Não tem UTI, amo vocês”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.