ColunistasRelacionamentos

Essa sofrência precisa ser passageira!

Essa sofrência precisa ser passageira

Quem te vê sorrindo no sábado à noite não acredita no que se passa dentro desse coração. Maquiar nossos sentimentos não é tão fácil assim, não é?!



Por mais que minta e finja que está tudo bem, a realidade é outra!

Soube que o chuveiro da tua casa anda reclamando que não suporta mais servir de palco para seus “modões” sofridos. Confessou-me que sente dó ao ver suas lágrimas se confundirem com as gotas de água que escorrem pelo seu rosto. E não me entenda mal: desabafar cantando no chuveiro é ótimo.

De alguma maneira precisamos externar tudo o que nos aflige. Mas tudo tem seu limite. Essa sofrência precisa ser passageira. E pelo que sei, ela faz morada no seu peito, há algum tempo já.


Por mais tentador que seja cantar Marília Mendonça no chuveiro, o que você acha de virar essa página? Ou sei lá, mudar o tema musical da sua vida?

Posso garantir, com todas as letras, que continuar insistindo no que não é recíproco, dói. Machuca de verdade e demora para sarar. Larga de ser tão teimosa, não cansa de ficar dando murro em ponta de faca, não?

Para aprendermos a lição, não precisamos quebrar a cara e o coração. Com sorte, e um pouco de juízo, aprendemos antes.

Não deixe que seu coração fique ressabiado para futuras relações e não reconheça alguém que o mereça e dê o devido valor. Esse tipo de pessoa é rara, mas existe.


Um coração calejado jamais será como antes. Para conquistá-lo será preciso mais, mais do que realmente seria necessário. Sua exigência será elevada a um nível absurdo, em que poucos serão capazes de alcançar. Então, economize tempo e lágrimas.

Não sofra por quem não merece você. Não alimente esse medo futuro de repetir o passado.

Porque o medo nos bloqueia. Igual esse crush empacando sua vida. Feito freio de mão puxado numa via expressa. Te prende e não deixa sair do lugar. Então, antes que seja tarde, desencana!

Eu sei, você sabe, seu chuveiro está cansado de saber que ele pode machucá-la novamente. É perda de tempo seguir insistindo onde não há futuro.


Não se apegue aos poucos e raros momentos bons. Desapegue e acelere para avida.

 

__________

Direitos autorais da imagem de capa: grinvalds / 123RF Imagens


Geralmente, somos criticados por quem está fazendo menos do que nós

Artigo Anterior

Não peça nada. Agradeça por tudo!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.