FelicidadeO SegredoVida

Essa tal felicidade

Uma das coisas mais difíceis de se fazer na vida é deixar ir. Existem tantas coisas, em tantos momentos distintos de nossa vida das quais precisamos nos libertar para continuar a viver. Deixar ir se torna uma tarefa nada fácil, mas necessária para nosso crescimento.



Precisamos deixar ir alguns sentimentos que nos assolam, alguns medos que nos tiram o sossego, algumas pessoas que já não fazem mais parte da nossa vida, alguns sonhos de criança, alguns caminhos que insistimos em trilhar, um curso que iniciamos, mas ao longo do tempo percebemos que nada tem a ver conosco, aquele trabalho que é mais um peso que um trabalho, amigos que nunca foram realmente amigos. Amigos de verdade mas que as circunstâncias fizeram questão de separar. Amores que outrora te fizeram feliz e agora só te causam dores. Paixões que nunca fizeram parte do plano real.

Existe uma infinidade de coisas que insistimos em manter em nossa vida, que nos agarramos com unhas, dentes, mente e forças. Como se não pudéssemos viver sem.  O início de um ano novo é um momento importantíssimo para refletirmos sobre o que merece estar dentro da gente, o que merece estar na nossa vida, o que merece nossa atenção e cuidados. É importante fecharmos os ciclos, aqueles que precisam ser fechados e abrir novos ciclos.

Nem tudo que precisa ir queremos realmente que vá. Às vezes estamos agarrados em pequenas esperanças, possibilidades que são pequenas como um grão de mostarda, mas que aos nossos olhos são como o Monte Everest. E baseamos nossa vida na premissa do “e se…”. E se eu tiver uma oportunidade…e se eu fizer assim…e se ele mudar…e se as coisas melhorarem. E assim vai. Criamos desculpas para não precisarmos tomar decisões e os dias passam, e as semanas também, depois os meses e os anos e um dia descobriremos que desperdiçamos nossa vida com promessas imaginárias, felicidades inatingíveis.


Essa tal felicidade é muito desejada por todos, mas o tempo vai passando e vamos percebendo que ela não é como acreditávamos. Ela não é um estado constante e sim passageiro. Nós a colocamos mais naquilo que queremos atingir do que naquilo que já conquistamos. Ela precisa ser conquistada dia após dia. Temos que acordar todas as manhãs decididos a sermos felizes mesmo que chova, mesmo que o relógio não desperte, mesmo que o chefe esteja irritado, mesmo que nosso amigo mais querido esteja distante, mesmo que os amores se acabem.

Como dizia Richar G. Sctott, olhe além da rotina diária da vida. Exorto a que consiga discernir, por meio do espírito, a aptidões que lhe foram concedidas por Deus. Exorto a que, façam escolhas corretas que os levarão a alcançar seu potencial pleno. Tenham coragem de deixar ir aquilo que precisa ir, tenha coragem de continuar a caminhar. Na vida, todos nós temos um papel a desempenhar. Podemos tanto tomar nosso script e participar da peça, quanto ficar nos bastidores esperando o melhor momento para atuar. Não existe melhor momento, existe apenas o momento presente e esse deve ser o melhor momento para ser feliz.

Céu e mar

Artigo Anterior

Estudo de harvard diz que yoga e meditação reduzem gastos com saúde em 43%

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.