Notícias

Com apenas 24 anos, estagiária de Enfermagem morre vítima de covid-19

Natália apresentou melhora no dia anterior, por isso os médicos se preparavam para tirá-la da intubação mas, durante a noite, ela piorou rapidamente.



A covid-19 tem feito vítimas de diferentes idades no mundo todo. Se no início tinha-se a sensação de era um vírus que acometia a população mais idosa e com comorbidades majoritariamente, hoje os pesquisadores da área lançam o alerta para que todos, sem distinção de condicionamento físico ou idade, tenham cuidado com a doença.

Em Sorocaba, no interior de São Paulo, a jovem de 24 anos, Natália Barbosa Moraes Rodrigues, estagiária de Enfermagem, morreu em decorrência de complicações do novo coronavírus, no dia 27. Ela trabalhava no Hospital Adib Jatene e já tinha tomado a primeira dose da vacina contra a covid-19, mas apresentou os sintomas da doença no dia 3, como febre e dor de cabeça.

Uma semana depois que os sintomas surgiram, Natália apresentou piora em seu estado de saúde e precisou ser internada. Com baixa saturação e dificuldade para respirar, ela permaneceu na enfermaria do hospital, recebendo oxigênio, por uma semana, de acordo com o namorado Aaron Fabrício Pacheco da Silva, de 24 anos também.


Natália não apresentou melhoras, então foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde ficou intubada por 15 dias. Durante essa transferência, a jovem teve duas paradas cardiorrespiratórias e precisou ser reanimada.

De acordo com reportagem do UOL, antes da intubação, ela trocou mensagens com o namorado, explicando que havia tido uma crise de ansiedade naquele dia, mas que, aos poucos, conseguiu se acalmar. Depois ela desejou boa noite a Aaron, e eles não se falaram mais.

Mesmo apresentando um quadro grave, a estagiária estava reagindo bem ao tratamento médico, e a equipe responsável pelo seus cuidados estava reduzindo gradativamente seu uso de oxigênio. Quando chegou à UTI, Aaron contou que seus pulmões estavam comprometidos e que ela precisava de 100% de oxigênio.

Mas sua melhora foi sentida pela equipe médica e, no dia 25, ela estava usando apenas 30% de auxílio do oxigênio, já sendo preparada para a extubação. No dia 26, Natália passou por vários exames para saber a extensão da gravidade da doença e se tinha ou não sequelas, mas teve uma piora durante a noite e não resistiu.


O namorado explicou que a covid-19 é traiçoeira porque, ao mesmo tempo em que o paciente demonstra melhoras, ela ataca novamente. Quando soube que a namorada não havia resistido, ele disse que seu mundo acabou. A jovem havia começado a trabalhar no hospital para cumprir as horas que ainda faltavam de estágio obrigatório da faculdade.

O casal ficava preocupado com o risco de contaminação, mas Natália explicava que estava se formando em uma profissão que amava, justamente para cuidar e ajudar as pessoas que precisavam.

Em seu trabalho, ela ajudava os pacientes que se recuperavam da doença.

Aaron criticou principalmente a parcela populacional que não cumpre o distanciamento social, fazendo festas clandestinas e aglomerações. Segundo o jovem, são os profissionais de saúde e seus familiares que acabam arcando com as consequências desses atos.


A vacina contra a covid-19 funciona quando as duas doses são aplicadas, esperando o tempo necessário depois do reforço para que os anticorpos do organismo cumpram a função de proteger o organismo. Como Natália havia tomado apenas a primeira dose, acabou contraindo o vírus e desenvolvendo complicações.

Compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e comente abaixo!

Casa em que criança era mantida acorrentada em barril é invadida e depredada

Artigo Anterior

Thelma responde a Karol Conká, que disse que campeã do BBB20 foi protegida por “amigas brancas”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.