ColunistasEspiritualidade

“este ano eu prometo”. Quando fazemos a nossa parte, a ajuda vem!

Este ano eu prometo

É chegado o momento que parece criar-se um vácuo no tempo e passarmos a refletir a respeito do ano que se encerra e das perspectivas para o ano que rompe. Momento de rever as promessas feitas, se efetivamente foram cumpridas, pelo menos algumas, e de renovar as que não tivemos êxito, complementando com outras.



No calor da emoção, em meio ao clima de harmonia que se instala no ar nesta época, ficamos sensíveis a promessas e dizemos: “Este ano prometo”.

São inúmeras, que vão desde viagens e realização profissional até situações bem complexas como deixar de algum costume inadequado e até mesmo cuidar mais da saúde.

Sempre dizemos que devemos levar em consideração o prometer coisas que efetivamente poderemos alcançar, e quanto menos quantidade melhor, pois às vezes planejamos executar muitas coisas e acabamos não cumprindo nada r nos frustrando.


Uma das mais comuns promessas é a de cuidar mais do corpo para se obter maior saúde e conseguir o emagrecimento ou preparo físico que se sonha, pois quando chegam as festas de fim de ano exageramos nas guloseimas e vemos que só o próximo ano é que nos dará a capacidade de cortes no que for preciso.

Hoje, um dos grandes problemas pelo qual atravessamos é a falta de emprego, então as promessas giram em torno muitas vezes desse vilão, e vemos a necessidade de nos preparar mais para enfrentar a concorrência das vagas que surgem timidamente, e os que votaram no Presidente vencedor torcem para que ele acerte, e os outros ficam na expectativa.

Mas muitos esquecem de que é importante para canalizar boas energias e ter êxito nas metas a alcançar, a modificação do comportamento, pois existem situações que não dependem apenas de nosso livre-arbítrio para obter sucesso nos nossos anseios, e sim da Espiritualidade Maior que opera nos auxiliando, mas para isso é necessário que estejamos com capacidade de absorver as intuições que nos chegarem.


Conta Chico Xavier, através de psicografia, que determinado Espírito deveria reencarnar como filho de um casal na Terra, mas a gravidez só poderia acontecer após a união conjugal dos noivos, e estes só iam ter um relacionamento íntimo após o casamento concretizado, cujo enlace só aconteceria quando tivessem a casa pronta que estava em construção. Acontece que o rapaz estava desempregado e, portanto, sem condições de tocar a obra.

Então, a Espiritualidade, através da Providência Divina propiciou emprego ao futuro papai, que pode concluir a obra, casar e procriar o corpo daquele que iam receber como filho.

Assim acontece no nosso cotidiano. Vivemos cercados de benfeitores que nos auxiliam a todo o momento, bastando que para isso estejamos receptivos e tenhamos boa vontade de vencer. Temos de fazer nossa parte. Certamente o rapaz que Chico se referiu, estava ansioso em se preparar para conseguir um emprego que lhe desse a estabilidade necessária para formar a família e seguir a vida adiante.


Para que nossas promessas, sejam elas simples ou complexas, deem certo, será preciso decisão, esforço e que façamos nossa parte, pois a ajuda com certeza virá, pois sempre dizemos que não estamos aqui neste Planeta abandonados à própria sorte.



Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / konradbak


É escutando o coração que a gente consegue descobrir o propósito de nossas vidas

Artigo Anterior

Filhos: todo nascimento é planejado antes no plano espiritual

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.