Família

“Estou cansada das pessoas me julgando por ter apenas um filho”, desabafa norte-americana

Foto: Reprodução
Julgamentos

A mãe relatou a sua história sobre a maternidade do filho único, revelando que foi taxada como egoísta pelas pessoas.

Todas as mães de “primeira viagem”, provavelmente, já passaram pela situação de que outras pessoas perguntam quando virá o próximo filho. Essa pergunta pode ser muito corriqueira para as outras pessoas, mas para a mãe, que ouve isso frequentemente, pode ser uma situação bem desagradável e cansativa, principalmente se ela não deseja ter mais um filho.

A jornalista estadunidense, Katie Arnold-Ratliff, é mãe de um filho de 4 anos, e relatou por meio de um texto para o site de maternidade Scary Mommy, que não pode deixar seu filho na escola, ou visitar sua família, sem que as pessoas a pergunta sobre o próximo neném. Ela também disse que os avós não ficaram muito contentes ao saber do plano dela e do marido de não terem mais filhos.

Para ela, segundo o The Sun, é um verdadeiro pesadelo ter que passar por isso, e já foi até mesmo acusada de ser “egoísta” por não dar um “companheiro” para brincar com o seu filho. Mas explicou que irmãos podem perder a construção de caráter, já que eles compartilham os quartos e o amor de seus pais, assim, são supostamente destinados a serem “idiotas egocêntricos”.

A mulher resolveu, então, estudar sobre como a educação afeta os filhos únicos durante a vida, para tomar sua decisão e conseguir rebater as outras pessoas. E assim, durante o estudo, ela percebeu que o estereótipo de “filho único” é muito injusto! Ainda de acordo com o The Sun, Katie explicou que um estudo inovador, de 1987, prova que filho único dado como “introvertido” ou “desajeitado” é um mito, e que as crianças em geral são sempre adeptas à interação social, bem como, são propensas à extroversão quanto qualquer outra pessoa. De acordo com Katie Arnold-Ratliff, o estudo também descobriu que os filhos únicos têm inteligência emocional maior.

Screenshot 10 4 1

Direitos autorais: Reprodução

De acordo com o The Sun, uma pesquisa publicada em 2021 revelou que os filhos únicos permanecem mais próximos de seus pais do que filhos que têm irmãos. Os pesquisadores da Universidade Xi’an Jiaotong, resumiram a pesquisa dizendo que as crianças superam as crianças com irmãos no quesito de positividade de relacionamento com os pais.

Katie Arnold-Ratliff, argumentou também sobre as chances de seu filho ter mais sucesso do que crianças com irmãos, e consequentemente se destacar mais no mundo do trabalho, citando um estudo de estudantes de medicina na China, que descobriram que adultos sem irmãos são mais confiantes e ambiciosos, comparados com aqueles que têm irmãos.

Ainda segundo o The Sun, a mãe também leu um estudo da Universidade de Warwick, de 2021, onde falava que as crianças que sofrem bullying de irmãos são mais propensas a lutar contra a depressão, e assim, Katie teve certeza que ter apenas um filho é a decisão final mais correta a se tomar.

Em seu texto no Scary Mommy, Katie também disse que não ter um segundo filho também contribui com o meio ambiente, já que a cada dia, o acesso à água potável e habitação disponível diminui, o que é preocupante para os pais, que querem o melhor para seus filhos.

Apesar de tudo isso, ela relatou que não quer dizer que filhos únicos são de alguma forma “superiores”, mas se alguém insinuar ou declarar a não que é egoísta da parte dela não dar um irmão ao filho, basta ficar tranquila, já que você entende profundamente sobre o assunto e sabe que não é este o caso. Além disso, segundo Katie, você pode estar fazendo um favor ao seu filho e a si mesmo.

0 %