3min. de leitura

Estudos científicos afirmam que a música ajuda o cérebro do terapeuta e paciente a entrar em sintonia

A música ajuda o cérebro do terapeuta e paciente a entrar em sintonia, segundo cientistas.


Segundo a revista Scientific American, os pesquisadores Jorg Fachner e Clemens Maidhof, da Universidade Anglia Ruskin, na Inglaterra, conduziram a pesquisa dos efeitos da musicoterapia com terapeuta e paciente, ambos usando toucas contendo eletrodos.

“Em um momento do estudo, a atividade cerebral da paciente se alterou repentinamente, deixando de mostrar sentimentos negativos para atingir um pico de positividade.”

Prevenção de doenças neurodegenerativas

A musicoterapia, segundo o Ministério da Saúde, é uma prática expressiva que utiliza o som, o ritmo, a melodia e a harmonia, ela promove a comunicação, a relação, a aprendizagem, a mobilização, a expressão e outros objetivos terapêuticos relevantes, com o intuito de favorecer o alcance das necessidades físicas, emocionais, mentais, sociais e cognitivas do indivíduo. Desenvolve potenciais e restabelece funções para que o indivíduo possa alcançar melhor integração inter ou intrapessoal, melhorando a qualidade de vida.


Outro estudo publicado na Revista Latino-Americana de Enfermagem comprovou os benefícios da musicoterapia a partir da medição do cortisol (hormônio do estresse) na saliva de dependentes químicos que passaram por sessões com terapeuta.

Segundo esse estudo, a música clássica ajuda a prevenir doenças neurodegenerativas. Ao escutar a música, o cérebro libera dopamina, neurotransmissor mais conhecido como “hormônio do prazer”.


Gosto musical e personalidade: tudo a ver

David Greenberg, da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, relacionou o gosto musical com a personalidade. Os empáticos, por exemplo, que se interessam por pensamentos e emoções, preferem músicas suaves e que provocam profundidade emocional. Os sistêmicos, aqueles que se interessam por padrões, sistemas e regras, preferem músicas mais intensas, com profundidade e complexidade intelectuais, como exemplo, a música clássica, um gênero mais recomendado para estudantes.

A música pode influenciar o comportamento das pessoas, para sua melhora ou não, tudo depende da escolha adequada.

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.