Notícias

Etna anuncia liquidação com até 90% para encerrar as atividades

Foto: Reprodução.
Etna faz liquidacao

Prestes a fechar as portas, a rede de lojas de móveis e artigos de decoração Etna anunciou uma liquidação com descontos de até 90%. No site, um banner que informa as condições de compra: a promoção só vale para produtos vendidos e entregues pela Etna e não serão permitidas trocas, Há descontos progressivos de 10%, 20% e 30% para compras acima de R$ 1.000, R$ 2.000 e R$ 5.000, respectivamente.

No site Reclame Aqui, consumidores relatam dificuldades em trocar cupons promocionais, entrega de produtos e estornos de compras. Um levantamento feito pelo Procon-SP aponta que, em março, foram registradas 53 reclamações relacionadas à empresa, um aumento em relação às 39 queixas no mesmo mês do ano passado. A maioria das reclamações deste mês (58,4%) é sobre entregas.

Nas redes sociais, os comentários se dividem entre a divulgação da promoção e relatos sobre dificuldade de encontrar os descontos anunciados.

Confira:

Screenshot 3 6

Direitos autorais: Reprodução/Twitter.

Screenshot 2 7

Direitos autorais: Reprodução/Twitter.

Screenshot 1 8

Direitos autorais: Reprodução/Twitter.

Encerrando atividades

No início do mês, o jornal O Estado de S.Paulo informou que os fundadores da empresa, a família Kauffman — também responsável pela joalheria Vivara — não teriam mais interesse na rede de lojas de móveis e utensílios domésticos e estavam fechando suas unidades.

etna anuncia liquidacao com ate 90 para encerrar as atividades

Foto: Reprodução/Etna

De acordo com o jornal, desde 2021 quatro unidades foram fechadas e, atualmente, a rede conta com cinco pontos de venda. São três no Estado de São Paulo, um na capital, outro em Campinas — no Shopping Parque D. Pedro — e o terceiro no município de Sorocaba. Os outros dois endereços estão no Rio de Janeiro e Brasília.

Etna já encerrou atividades no Nordeste

Em 2015, falava-se em 18 pontos espalhados pelo Brasil. Em 2021, já com a metade desse parque, a empresa encerrou as atividades no Nordeste.

Desde o fim do ano passado, segundo o Estadão, há relatos nas lojas da capital paulista e de Campinas de prateleiras esvaziadas e falta de produtos.

PUBLICIDADE

0 %