3min. de leitura

Eu gosto de ser mulher!

Se nos fosse dada a opção de escolher o gênero antes de nascer certamente eu escolheria ser mulher.

Porque as mulheres são seres especiais dotados de uma incrível capacidade de fazer muitas coisas ao mesmo tempo, podem ser muitas mulheres em uma só, são sensíveis e fortes, vão do choro ao riso em questões de segundos, são capazes de ouvir a razão e mesmo assim seguir o coração.


E como diz na melodia:
“Eu gosto de ser mulher
Sonhar arder de amor
Desde que sou uma menina…”

Mas talvez essa não fosse a opção da maioria das pessoas, pois se observarmos através da evolução da humanidade veremos que quase sempre os fatos marcantes são dedicados aos homens deixando nós as mulheres num papel secundário.

O Homem saía para caçar e a mulher ficava na caverna, o homem ia para as guerras e a mulher ficava a espera do amado, o homem desbravava os mares enquanto o gênero oposto considerado submisso e fragilizado era incumbido de ficar em terra firme cuidando da prole. Essas são algumas das histórias contadas através dos tempos, fazendo com que as mulheres fossem vistas como frágeis, inferiores ou meras coadjuvantes.


Durante muitos anos e ainda hoje em algumas civilizações prevalece o poder do mais forte. Parece uma luta desigual querer o mesmo respeito e consideração que os homens sempre receberam.

Se compararmos as mulheres em diversas partes do planeta e os homens veremos que existe uma influência muito grande exercida pelos fatores biológicos, culturais e religiosos que influenciaram na forma como as mulheres são vistas e tratadas pela sociedade.

Caberia aqui a citação da famosa escritora Simone de Beauvoir “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.”

E como ela mesma define no Ensaio: O Segundo gênero, não se nasce mulher na verdadeira concepção da palavra, já que a mulher é o resultado da história das civilizações unida as experiências vivenciadas por cada uma.


Hoje, porém sabemos que somos muito mais que uma definição de gênero, somos donas do nosso próprio destino, temos em nossas mãos as rédeas das nossas vidas. Somos fortes, perseverantes e intuitivas, capazes de enfrentar de cabeça erguida os desafios diários, correr atrás dos nossos sonhos, buscar a nossa independência financeira, lutar pela igualdade social e o respeito, mas acima de tudo alcançar o direito de Ser Feliz.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.