5min. de leitura

EU GOSTO QUE ME DIGAM A VERDADE, DOENDO OU NÃO

Ninguém gosta de ser enganado. Ninguém gosta de mentiras brancas ou que decidam por nós o que devemos saber ou não. Se a verdade irá nos machucar, cabe a nós lidarmos com isso.


As pessoas têm o mau hábito de esconder as coisas que fazem, dizem ou pensam, porque acreditam que assim evitarão machucar as outras. Mas na verdade não há nada tão devastador como a mentira, ocultismo e hipocrisia. Faz-nos sentir pequenos e vulneráveis, o que gera desconfiança e insegurança para o mundo.

“Não há nada que nos machuque mais por dentro e nos agite as entranhas do que deciderem por nós, trairem nossa confiança e que nos assumam incapazes de tolerar e vivenciar certas experiências.”

Nenhum sentimento é inválido

Ao longo de nossas vidas, sofremos e choramos por centenas de situações que os outros nos geram. No entanto, todos estes sentimentos e emoções não são em vão; pelo contrário, grande parte de nossa aprendizagem é mediada pelas dores.


O sofrimento também faz-nos compreender, conhecer e entender que não há mal que dure cem anos. Desta forma conseguimos gerir as nossas emoções ou, dito de outra forma, sair do túnel.

A nossa vida é nossa, nós vivemos como queremos e não como os outros julgam. Será que devemos decidir quem alguém deve amar e como? Não, isso é loucura. Isso já foi tentado, mas sempre sem sucesso, pois é injusto tentar decidir por outros.


O poder de dizer as coisas na cara

Dizer coisas na frente de uma pessoa é ser honesto, nada mais e nada menos. As pessoas confundem isso com falta de educação ou prudência. Como a honestidade é um termo que leva à confusão e cada um tem a sua própria versão da história, vejamos mais sobre ela.


Sinceridade não é dizer tudo o que vem à mente de forma bruta, e a qualquer momento. Além disso, ser honesto com discrição, empatia e ética significa não mascarar a realidade, mas adaptar a sua comunicação no momento da pessoa.

A sinceridade nos faz companheiros, pessoas leais e justas. Boas pessoas. Obviamente, muitas vezes a intenção não é ruim, muito pelo contrário. No entanto, sabemos que ao não dizermos a verdade, estamos desrespeitando a pessoa “afetada”.

“Não podemos tomar decisões para os outros, porque é assim que fazemos dano real. Um dano que é irreversível e que viola as leis de qualquer relacionamento forte e equilibrada.”

Na verdade, ao mentir para alguém estamos o privando da oportunidade de gerir a sua dor e aprender a lição necessária. Isso é algo extremamente injusto e abusivo.


Sinceridade fere aqueles que vivem em um mundo de mentiras

Sinceridade nunca fere, o que fere são as realidades. Mas ser honesto é sempre um grande gesto, doa o que doer. No entanto, pode acontecer de alguém preferir viver em um mundo de fantasia e cegar-se para a realidade. Neste caso, tudo é respeitável.

“Porém, o mal de mentir ou esconder a verdade é que a partir daí se põe em dúvidas mil verdades, o que quebra a confiança, a segurança e os sentimentos de amor mais potentes.”

Em suma, a verdade constrói e a mentira destrói. Cada um de nós é capaz de assumir a realidade do que nos diz respeito e, por conseguinte, resolver os potenciais danos que isso pode causar.

Nós não podemos viver na esperança de que a vida é um mar de rosas para nós ou para os outros. Assim, sempre que apropriado, devemos escolher ser honestos e não privar as pessoas da oportunidade de crescer superando adversidades ou desconfortos da sua própria existência.

“Em resumo, lembre-se de que proteger-se contra um dano com a possibilidade de causar outro pior não tem sentido e lógica. Ajamos em conformidade.”

 

___

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: La Mente es Maravillosa





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.