3min. de leitura

EU NÃO FAÇO NADA, É TUDO A LUZ DO CRIADOR!

O propósito de nossa existência é chegar ao entendimento da verdade: eu não faço nada, é tudo a Luz do Criador.


Estamos neste mundo por causa do Pão da Vergonha, um mau sentimento que vem ao receber alguma coisa boa sem ter feito por merecer.

Por sermos parte do Criador, se somente recebêssemos sem fazer por merecer as bênçãos e a bondade que o Criador quer nos dar não poderíamos ser completamente plenos porque sempre sentiríamos vergonha e falta por não ter feito por onde.

Os cabalistas nos ensinam que estamos neste mundo para merecer a Luz do Criador através de um esforço pela transformação. O Criador sabia que precisávamos que a Luz revelada a nós fosse baseada em nosso trabalho. Por isso colocou um véu sobre nós.


A verdade é que tudo que fazemos é a Luz do Criador. Não somos nós fazendo, falando, agindo. É tudo a Luz do Criador. O Criador criou uma ilusão na qual nós achamos que podemos fazer e aprender, ajudar e ensinar. Achamos que fazemos e acontecemos. É ilusão.

Para merecer a Luz que o Criador quer nos dar esse véu é colocado sobre a realidade. A realidade é que não podemos falar uma palavra ou fazer uma ação que não seja a Luz do Criador.

O véu nos impede de ver isso e achamos que podemos fazer. É uma ilusão muito forte em que todos nós acreditamos. Não temos consciência constante de que tudo é a Luz do Criador e achamos que temos nossa própria força. Quando a pessoa quebra essa ilusão através do trabalho espiritual, retorna ao estado do Infinito antes de nosso mundo existir. A


pessoa fez por merecer a retirada do véu. O propósito de nossa existência é chegar ao entendimento da verdade: eu não faço nada, é tudo a Luz do Criador. Quando você quebra o véu, você mereceu a revelação e retorna ao Infinito. Todas as ações de compartilhar são para nos permitir chegar consistentemente à verdadeira consciência: não existo eu (ego) sozinho. É tudo a Luz do Criador.

Ao ter essa consciência nos conectamos com o Infinito. Passamos a agir em consonância interna e externa; partes de nós.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.