AmorO SegredoRelacionamentos

Eu não preencho vazios, não cubro ausências, não ocupo espaços: eu amo

eu não preencho lacunas

Há quem encontre sua felicidade curando feridas, vazios de outros. Ninguém pode negar que às vezes pode ser reconfortante ser o bálsamo que cura as tempestades do passado, o antídoto para tal amargura que outros deixaram nos corações daqueles que amamos agora.



Ser esse elemento-chave na vida diária de entes queridos é importante. Agora, ninguém nasce para ser uma muleta cotidiana ou um pano de enxugar lágrimas.

“Quando você se oferece a alguém, faça isso com plenitude. Você não substitui a ninguém, nem é a água que preenche as lacunas não resolvidas uma pessoa imatura, você não está lá para ajudar, mas para amar e ser amado.”

Isso não significa que não nos preocupamos com o passado de nossos parceiros, que não saibamos quais suas fraquezas, suas cicatrizes internas e seus demônios ocultos.


Devemos saber, mas não ache que é o herói ou heroína que tem como objetivo salvar e curar todas as feridas de seu parceiro. Não é seu trabalho, e nem a sua principal responsabilidade.

Nosso objetivo é acompanhar, crescer como casal, contribuir, receber amor e ser amado. É construir um projeto comum onde ambos os esforços são compartilhados.

Quem estabelece como própria finalidade cobrir espaços vazios e curar sopros de tristeza, apenas se fragmenta lentamente …

Vazios da alma que se tornam abismos de distância entre o casal


Alguma vez você já teve um parceiro com essas características? Elas são pessoas que exigem mais do que fazem. No começo geralmente cativam, porque seus olhos são como o ar que dá força para todas as suas necessidades, deficiências, e vazios.

“Pessoas com falhas de energia são ladras e destruidoras de emoções positivas. Elas precisam ser reafirmadas, tratadas e valorizadas .. entendem o amor como uma necessidade e não como uma troca, não como crescimento de duas pessoas.”

Se você já viveu isso na própria pele, entende o que essas relações significam.



O que faz com que nos sintamos atraídos por cheias de tantos vazios?

– Uma pessoa com vazios é alguém com baixa autoestima que precisa ser reafirmada.

– Este tipo de personalidade atrai porque num primeiro momento, nós nos sentimos úteis, especiais e importantes: só nós as fazemos felizes, só o nosso amor as torna felizes, fazemos com que esqueçam o passado…

– Em primeiro lugar, um relacionamento com uma alta intensidade passional é criado. É um amor que precisa, mas não devemos nos esquecer que os amores que “precisam também tornam-se exigentes”


– Quando alguém é cheio de vazios, está habitado por inseguranças. Por isso, é comum que fiquem suspeitos, que anseiem amostras constantes de amor, que sejam exibidos, assim tornando-se gradualmente clara chantagem emocional.

– O que queremos dizer quando falamos que uma pessoa tem vazios? Vazios são feridas não resolvidas do passado. É impotência, baixa autoestima e frustração que se tornam fatais.

É encarregada ao parceiro a dura missão de curar todas estas deficiências.



Sua responsabilidade não é preencher os vazios: você merece amar e ser amado

Já observamos no início e repetimos: enquanto um casal, você merece amar e ser amado.

Sua responsabilidade não é curar, não é ser um abrigo de todos os dias, ou ser alguém que atenda às necessidades das pessoas sem levar em conta as suas próprias.

Você sabe quem é e o que merece.


Todos nós sabemos que é muito difícil controlar por quem nos apaixonamos. Isso apenas acontece e, muitas vezes, até inconscientemente.

No entanto, você deve ter esses princípios claros em sua vida diária:

  • Cultive um amor maduro e consciente, em que ambos os membros são capazes de permitir o crescimento pessoal do amado.

  • Você não é uma cura eterna para feridas, um ocupante do vazio, nem um mágico que faz os medos fugirem. Pode até ser por algumas semanas, meses … mas depois não será mais amor, será uma condenação.
  • Você apoia e merece ser apoiado, cuida e incentiva, e se permite ser tratado e valorizado a cada dia.
  • O amor é crescimento, realização e felicidade inscrita em pequenos atos. Sem cumplicidade, respeito e compromisso mútuo, o amor não é completo ou autêntico.

___

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: La Mente es Maravillosa

Esporte e depressão, cura emocional

Artigo Anterior

Fala pra ele que ele é seu sonho bom (ou não)

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.