Comportamento

“Eu sou gay, e daí?” Homem se revolta ao se deparar com suas fotos viralizadas em página ofensiva

O jovem mexicano se surpreendeu quando descobriu que usuários anônimos tinham postado suas fotos em uma página depreciativa no Facebook, fazendo comentários homofóbicos.



A orientação sexual de uma pessoa diz respeito ao gênero pelo qual ela se sente atraída.

Indo muito além da sexualidade e da forma como se relacionam, elas podem ser homossexuais (quando se interessam por indivíduos do mesmo gênero), bissexuais (quando se interessam pelo gênero feminino e masculino), pansexuais (quando se interessam por todos os indivíduos, sem que a identidade de gênero seja relevante) ou heterossexuais (quando se interessam por indivíduos do gênero oposto).

A homofobia é o crime contra as pessoas que se identificam como homossexuais ou rejeição  a elas, ou seja, que não performatizam o ideal heteronormativo.


Desde que nascemos, somos bombardeados com informações, experiências e vivências que nos colocam, automaticamente, em locais e posições heterossexuais. A heterossexualidade é presumida desde o momento em que os pais fazem um exame de sexagem fetal e descobrem se o enxoval será azul ou rosa.

Em junho de 2019, no Brasil, o Supremo Tribunal Federal (STF) criminalizou a homofobia e a transfobia, e determinou que a conduta deveria ser punida pela Lei do Racismo (7.716/89). Isso significa que é “crime praticar, induzir ou incitar discriminação ou preconceito em razão da orientação sexual”.

O jovem mexicano, chamado nas redes sociais de Palito del Pan, revelou em sua conta do Twitter que suas fotos tinham viralizado em uma página do Facebook, onde os usuários mencionavam, de maneira preconceituosa, sua orientação sexual. A publicação feita no dia 7 de setembro teve mais de 100 mil curtidas.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@palitodelpan.


Pan ainda afirmou, com orgulho, que é homossexual, sim, e perguntou qual era o problema das pessoas com isso. Os comentários depreciativos a respeito do gênero pelo qual sente mais atração, além de se tornarem virais, também mostraram que a maioria dos usuários queria apenas criticá-lo, mesmo sem sequer o conhecer.

O homem ainda explicou que há muito tempo parou de se importar com o que as pessoas dizem a seu respeito, mas que, mesmo assim, isso não dá às pessoas o direito de serem preconceituosas gratuitamente nas redes sociais.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@palitodelpan.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@palitodelpan.


Trabalhador de uma usina petrolífera, suas redes estampam, sem pudor, fotos do seu corpo, algo que muitas personalidades e famosos fazem sem receber nenhum tipo de julgamento. Em outro post, ele ainda disse que ninguém pode pressionar ninguém por conta de sua orientação sexual, e que não devemos deixar que isso aconteça.

Nos comentários do Twitter, muitos usuários deram razão a Pan e demonstraram solidariedade a ele. Outros disseram que as fotos haviam se tornado virais não por conta de sua orientação sexual, mas porque usava o ambiente de trabalho para “posar para fotos”.

Direitos autorais: reprodução Twitter/@PalitodelPan.

 


Fátima Bernardes fala da relação com Túlio Gadêlha, 25 anos mais jovem: “Encontro de outras vidas”

Artigo Anterior

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.