Eu sou o espelho, sou o reflexo daquilo que eu penso, falo e faço!



Espelhar: eu sou o espelho. Sou o reflexo daquilo que eu penso, falo e faço!

Neste mundo de “versos & controversos”; de “nomes & anonimatos”; de “céu & inferno”, vemo-nos conflitando com infinitas dualidades que fogem do controle humano. Enquanto uns lutam para sobreviver, outros, lutam contra qualquer forma de vida, invadindo assim, o espaço, o tempo e a história que não o “pertence”.

Até onde vai o limite do outro? Até onde vai o seu limite nessa existência de múltiplas dualidades de “amor & ódio; de “alegrias & tristezas”; de “caminhos & desencontros”?

O que o faz acreditar e/ou o que o faz iludir diante à sua essência? Você consegue enxergar na sua vida essa dualidade de infinitas contradições?

O que você vai contemplar neste artigo“Espelhar”, que esses amplos questionamentos permitirão respondê-los de forma a perceber que suas crenças mais enraizadas, mais limitantes serão postas à tona de forma a envolvê-lo numa dinâmica de se colocar no lugar do outro, percebendo a razão pela qual você não é vítima do acaso, você é ao mesmo tempo telespectador e protagonista da sua vida! Isso mesmo! Permita-se presentear com a sua história! Uma história que não tem certo ou errado; inocente ou culpado; mas, que tem a “UNIDADE” da consciência do seu espelho! Afinal de Contas, o que importa é o seu espelho! Como você se espelha?

Qual o seu reflexo para a vida? Você consegue se projetar para o mundo onde as possibilidades é você quem escolhe?

Como dito anteriormente: você não é vítima do acaso, você é o telespectador e o protagonista…. esse é o “espelhar” para a vida! Antes de alguém ser um espelho para você, mostre o seu espelho!

Eu acredito que já deve ter parado para pensar em quantas vezes você teve uma experiência de extrema alegria e no mesmo instante o medo de toda essa alegria acabar. E quando acaba você diz em pensamento ou em voz alta: “Eu disse que a alegria de pobre dura pouco!” Xô, Xô, Xô coisa ruim! Quer dizer, você profana o mal antes mesmo dele acontecer; julga antes mesmo de conhecer. Depois, passa horas, dias, meses e até mesmo anos procrastinando a má sorte que a vida te rebelou, ou pior, que você rebelou!

O que o faz ver a vida de forma tão complicada? O que o faz aborrecer tanto com as atitudes dos outros? Será porque são reflexos das suas atitudes?

Complicado, não é? Complicado nada! Isso mesmo! A vida não é complicada, aliás a vida é simples demais e por não contentar com a simplicidade dos fatos, complicamos a! Pronto, Falei! E aí? Está pronto para descomplicar? Ou vai ficar à mercê do vitimismo; do individualismo; do abismo; do absurdismo e dentre outros tantos “ismos” condenados ao fracasso humano, e consequentemente, à destruição planetária.

“Espelhar” quer lhe trazer ao real conhecimento do simples fato de saber viver: Ser…. Ter…. estar no agora! Para se ter uma ideia, o espelho remete uma característica bastante familiar no nosso cotidiano, mesmo que se negue a olhar no espelho (não estou falando de se olhar no espelho físico, mas, prioritariamente, no espelho da alma), você é um espelho na vida de alguém como protagonista. Porque quando você está na boca de alguém, você não é mais um mero telespectador, de fato é um protagonista, seja para bem ou para mal! Depende do seu reflexo!



“Espelhar” vai muito além de se “OLHAR”…. Na realidade é fazer-se “VER”… “REFLETIR”… “REPRESENTAR”…. “EXPRESSAR”… “MANIFESTAR”… “EXTERIORIZAR”… Verbos estes constituídos por infinidades de sinônimos inerentes a nossa Unidade: EU SOU!!!

Eu sou o espelho! Eu sou o reflexo daquilo que eu penso, falo e faço! Eu Sou um telespectador e um protagonista ao mesmo tempo!

Eu me represento prontamente para a vida! Eu me expresso de forma a não perturbar o limite que é do outro! eu sou a manifestação completa do que eu quero! Eu me permito exteriorizar a minha vontade conforme a minha evolução! Portanto, eu me permito daqui em diante estar consciente daquilo que “APRESENTO” a mim, aos outros e assertivamente, à vida!

Qualquer característica pensante do meu ser far-se-á com propósitos relevantes à minha evolução, à minha conjuntura de corpo e alma, porque afinal de contas estamos nessa vida para aprendermos SER mais humanos, humildes, honestos, habitáveis; TER mais iniciativa, segurança, amorosidade, simpatia; ESTAR em paz com os outros e principalmente, consigo mesma.

Essa tríade: SER… TER… ESTAR nos confirmam atitudes que podemos espelhar mais ações na: autonomia como pessoa; liberdade como fonte financeira; saúde como pública; educação como prioridade; família como base; política como direção e humanidade como evolução!

Vamos combinar uma coisa: vamos espelhar mais?!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: vladrad / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.