Eu vou chegar lá. Sou da terra, sou do ar. Sou da força energética e espiritual

4min. de leitura

Eu vou chegar lá. Sou das manhãs agradecidas, das travessias, da estrutura que suporta e se regenera através dos ensinamentos de Deus.



Eu vou chegar lá. Vou, com toda torcida contra, com todo mal que me lançarem, com todo arsenal de pensamentos negativos que me enviarem.

Sou da terra, sou do ar. Sou da força energética e espiritual.

Não importa se um dia houve tristeza. Ela passou, como tudo passa nesta vida. Passa, assim como o ontem que já perdeu força e me trouxe ao momento presente.


Eu vou chegar lá. Não importa onde eu esteja, onde eu me caiba, onde eu interprete meus sonhos, onde eu sinta maior fluxo de dor ou amor.

Não deixo ninguém passar por cima, não odeio, não revido.

Aqui dentro, há uma longa história, há o começo, o meio e o fim. Há o ciclo, a página virada, a verdade dita, a distância imposta pelo coração. Há o lado certo, o avesso.


Eu vou chegar lá, através da cura, através da elevação espiritual, através do chamamento da minha força interna.

Tenho braços e pernas, tenho ideais, tenho condições de prosseguir.

Afasto as sombras do caminho, chamo pela mãe natureza, peço proteção aos meus guias de luz.

Eu luto pela minha sanidade mental, emocional, luto para conseguir equilíbrio interno.

Não tenho tempo para me intrometer na vida de ninguém, não tenho tempo para parar para pensar no que pensam a meu respeito, porque tenho mais o que fazer, tenho mais para viver, mais para aprender e mais para sentir.

Muitos foram os remendos, muitos foram os recomeços. Vivi tragédias pessoais, vivi momentos de angústia e desespero.

Eu vou chegar lá. Vou, porque abri mão de sentimentos rasos, de brigas a troco de nada, de promessas falidas.

Estou em carreira solo, estou dando a cara para bater, estou sendo mais honesta comigo.

Se lhe perguntarem por mim, diga que estou por aí, sem fazer alarde, sem ter vergonha, sem ter a sensação de que ainda tenho a consciência presa em algum lugar esquecido pelo tempo.

Acho que quitei muitos débitos, fiz as contas e ainda estou no lucro. O que sobrou, investi em paz interior, em amor-próprio, em bem-estar.

Aliás, já cheguei a algum lugar. Cheguei mais perto da minha vida, mais perto das minhas necessidades, mais perto do “eu”. Transformei minha casa em um lugar mais habitável e saudável.

Sinto que andei para a frente e não despejei metade da minha bagagem para cima de ninguém. Já fiz a mea-culpa.

Hoje prefiro admirar um fim de tarde olhando mais para dentro de mim.

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Kristina Kokhanova/123RF Imagens.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 19/01/2020 às 7:06






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.