Amor

Existem 5 tipos principais de amor. Descubra qual é o seu!

O que é o amor para você? Uma troca de olhares? Uma relação intensa e duradoura? Ou um encontro entre duas pessoas sonhadoras e românticas?



Descubra quais são os tipos de amor!

Falar sobre o amor é sempre uma questão complexa. É difícil exprimir em palavras o que é, de fato, esse sentimento. Para alguns, causa estranheza; para outros, é a relação mais profunda e íntima entre duas pessoas. A única coisa com que, provavelmente, todos concordam é que, em algum momento, vamos sentir vontade de experienciar essa troca de afeto e cuidado com outro indivíduo e, nesse momento, o que mais se espera é reciprocidade.

O que uma pessoa considera importante no amor, outra pode acreditar ser algo totalmente dispensável. Por isso não é simples elencar as principais características desse sentimento. Mas, basicamente, ele precisa ser construído em terreno fértil, em base sólida e de comum acordo. Normalmente, os principais elementos dessa fundação são a intimidade, a paixão e o companheirismo, mas nem todas as pessoas experimentam de forma simultânea esses elementos nas suas relações amorosas.


Existem alguns tipos de amor que não correspondem ao ideal que se espera, ou apenas cumprem uma função naquele período específico da vida das pessoas. Algumas vezes, iniciamos um relacionamento sentindo uma forma de amor e, com o tempo, ele pode muito bem ir mudando, de acordo com o que o casal semeia naquele encontro.

Descubra os cinco tipos de amor mais comuns de se sentir e viver. Qual será que é o seu?

1. Amor arrebatador

É uma forma bem comum de afeto íntimo entre duas pessoas e, na maioria das vezes, marca o início dos relacionamentos. Aquele amor divertido, cheio de paixão, em que a atração de um pelo outro chega a produzir faíscas, tamanha a química entre o casal.


Demanda tempo e energia, pois a vontade de estar juntos fisicamente é tão grande, que fica impossível perceber que o excesso de encontros pode afetar outras áreas da vida, como a profissional. Esse início nem sempre deve ser encarado como negativo, pois pode ser também um projeto de futura intimidade profunda, que vai além da relação física.

É necessário tomar um pouco de cuidado com essa manifestação de amor, porque nem sempre ele evolui para algo mais profundo. Além disso, se perceber que está interferindo negativamente em outras áreas da sua vida, talvez também seja hora de rever até onde essa paixão é proveitosa. O mais importante aqui é ter responsabilidade emocional e agir como pessoa adulta, se a intenção for apenas ficar na paixão. Ser claro com seu parceiro ou parceira pode evitar ilusões desnecessárias.


2. Amor sonhador


Também chamado de amor romântico, é um tipo bem comum de manifestação desse sentimento. Bem ao estilo Romeu e Julieta, em que existe uma conexão profunda e pura, mas que, no fim, o casal não fica junto. Pode parecer um pouco triste, mas é a verdade! O relacionamento é marcado por muitas manifestações de inocência e infantilidade, e normalmente surge durante a adolescência (mas também pode surgir em outras etapas da vida, não se engane!).

Sabe quando o casal é extremamente idealista e faz planos que todos sabem que são impossíveis de atingir? Então, esse é o amor romântico. Ele rompe com a realidade e passa a criar um mundo de sonhos bem arquitetados, mas que o casal não batalha para concretizar. É extremamente profundo, sim, já que os dois se importam muito em criar uma conexão de almas, ouvindo o outro e o compreendendo, mas, normalmente, não passa disso.

Esse amor ideal e utópico pode também ser uma fase do relacionamento. A melhor forma de não permanecer preso nele é arregaçando as mangas e trabalhando para alcançar os objetivos sonhados juntos. Um pouco de contato com outras pessoas fora da intimidade do casal pode trazer esse choque de realidade tão necessário, talvez seja hora de ver mais os familiares e amigos, quem sabe desgrudar um pouco!



3. Amor fiel

Não estamos falando apenas de não trair, aqui nesse tópico, a amizade e o companheirismo são os grandes astros. Esse tipo de amor pode se manifestar tanto no início do relacionamento quanto depois de anos de união, basta saber identificá-lo.

Sabe quando você tem um grande amigo ou uma grande amiga, e a relação de vocês é tão natural e espontânea, que decidem que vão se relacionar intimamente? Então, esse é o amor amigo. Esbanja fidelidade e comprometimento, mas pode, por vezes, ser incompleto. Não é sempre que uma amizade carrega a química e a paixão junto, e sabemos que uma parte dos relacionamentos amorosos, normalmente, envolve intimidade física. Em alguns casos, a amizade evolui para uma paixão, mas cabe a você identificar se é isso que deseja e ser claro com a outra pessoa.

O segundo tipo de amor fiel é o amor companheiro, aquele que vai se estabelecendo depois de muitos anos de união. Aquele casal que sabe o que o outro vai dizer só de olhar para o rosto dele ou que vive em plena harmonia em casa, com todas as tarefas e atividades bem divididas. É um elo normalmente muito sólido, mas que pode também não ter mais a chama da paixão acesa. Nesses casos, o mais importante é ser franco com o outro, pois falar abertamente sobre seus sentimentos mais íntimos e profundos pode ajudar a restabelecer a paixão. É um esforço conjunto!



4. Amor sem compromisso

Envolve apenas o relacionamento íntimo de duas pessoas. Pode ser um encontro de uma noite ou de vários dias, mas não costuma ser profundo nem cheio de significados. Nesse tipo de amor, não se espera muito além do contato físico, costuma ser divertido, movimentar o dia, mas não há muita conversa significativa.

Talvez nem exista como desenrolar para uma paixão ou nem sequer exista admiração entre o casal que não envolva apenas a aparência. Não deve ser considerado negativo, pode ser um tipo de envolvimento necessário para você em determinada época de sua vida, pode ser uma coisa automática ou mesmo algo para ocupar sua cabeça.


O importante é sempre se certificar de que a outra pessoa se sente da mesma forma. Não há nada de errado em aproveitar a vida, caso não exista nenhum impedimento. O importante é sempre ser sincero com os seus sentimentos, respeitando também os sentimentos do outro. Mesmo sem envolvimento afetivo, se os encontros casuais se perpetuarem por algum tempo, talvez seja bacana considerar conversar com a outra pessoa e explicar o que deseja, além de ouvir o que ela quer.

5. Amor profundo

Um amor que transcende as barreiras do humano. O casal que tem a oportunidade de atingir esse nível de comprometimento se envolve tão profundamente que um chega a sentir o que o outro sente. O amor que todos os que estão à procura de envolvimento buscam. É o tipo de relacionamento que envolve plantio e cuidado diários, algo semelhante a cuidar de uma horta, aquela rega diária, aquela terra que precisa ser adubada. Envolve muito companheirismo e afeto, e exige que ambos estejam comprometidos no mesmo nível.

Não é sempre que esse nível de amor está presente na vida do casal e, uma vez que surge, também não significa que será dessa forma para sempre. Somos humanos, cheios de falhas e nuances talvez até mais complexas do que a própria definição de amor, por isso o diálogo é tão importante para se atingir o que se espera de um compromisso.


Uma base sólida, um casal que se compromete tanto consigo mesmo quanto com o próximo, que separa tempo para cultivar esse amor, mas que também separa tempo para cultivar o amor-próprio, que respeita a individualidade do outro, que caminha na mesma direção por opção. Aqui o casal se relaciona de forma horizontal, um não está acima e outro abaixo, todas as escolhas são feitas pensando na união, sem nunca prejudicar a pessoa que se ama.

Complexo, não é mesmo? O mais importante sempre é garantir que você esteja feliz, independentemente do tipo de amor que está vivendo no momento. O amor é uma construção que exige que duas pessoas se comprometam com a sua edificação, não há como apenas um tentar suprir o interesse de um casal.

Lembre-se de respeitar suas vontades e suas escolhas, mas sem tratar o outro com egoísmo. A outra pessoa também possui sentimentos, também idealiza um tipo de amor que quer viver. Franqueza e responsabilidade são a chave para a honestidade e o bom relacionamento.

Você está vivendo um amor no momento? Qual o seu tipo de amor?


Deixe um comentário e compartilhe com seus amigos nas suas redes sociais!

Nada é permanente. A vida é um dançar de cadeiras, e tudo muda num segundo

Artigo Anterior

Mulher adota cãozinho com câncer e lhe oferece muito amor em seus dias finais

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.