Experimente a prece. Ela é para todos e não exige crenças religiosas.

“A forma não é nada, o pensamento é tudo. Faça cada qual a sua prece de acordo com as suas convicções, de maneira que mais lhe agrade, pois um bom pensamento vale mais do que numerosas palavras que não tocam o coração.”

A prece é muito mais do que dobrar os joelhos e declamar palavras decoradas, sem nem mesmo prestar atenção no seu sentido.

É muito mais do que rogar a Deus que nos conceda uma graça, ou mesmo agradecer outra já alcançada.

Na verdade há muitas formas de orar, mesmo que você não acredite em nenhuma divindade.

Prece pode ser um devotamento, uma manifestação de amor verdadeiro, de respeito ao outro. Aquela vontade sincera de ser útil a alguém ou a si mesmo em alguma situação perturbadora.

Empatia é prece em seu estado mais puro, é sentir a solidariedade correndo nas veias e um grande e sincero desejo de que o outro encontre sua paz, saúde, equilíbrio, e tudo mais o que ele necessitar para ficar bem.

Certamente, a prece no seu sentido literal também é repleta de imensuráveis poderes, desde que venha do mais profundo âmago, proferida com a toda veracidade de sentimento.

É importante que brote da alma, do desejo lícito mais íntimo, que seja realizada com total entrega… aquele momento em que as palavras são ditas pelo coração.

A prece é um momento de encontro com o Divino, porém se você não crê em divindade, considere que a prece é o encontro consigo mesmo, é um momento de conexão com o infinito e seus mistérios.

A prece pode devolver-nos desde a sensação de serenidade e calma, como pode nos oferecer a dádiva de sermos dignificados alcançando a graça, objeto de nossa prece.

Pode ser realizada de várias maneiras e por todos que queiram proferi-la, mesmo os céticos que podem se referir a ela em outros termos e interpretá-la de acordo com suas convicções.

Muitas vezes, no silêncio refletindo sobre questões que nos incomodam, momento em que transitam em nossas mentes pensamentos em busca da solução de uma questão. Uma simples reflexão sobre a vida, a saudosa lembrança de um ente querido que partiu para sempre, ou se encontra distante, são momentos íntimos, onde apenas o infinito nos pode ouvir. Concentrados em nossos sentimentos dignos e verdadeiros, sem dúvida nos encontramos em prece.

Mas para se entregar a uma prece você precisa ter seu coração resignado, sem presenças de sentimentos densos, a menos que essa prece seja justamente para dissipá-los, pois Deus, na sua onipotência, é capaz de aceitar em meio a uma prece, coisas como mágoa, medo, tristeza.

Há muitas naturezas de preces, as que são pedidos de socorro, as repletas de gratidão e aquelas que servem para aquietar a mente, o coração.

Podemos fazer uma prece onde melhor julgarmos, em qualquer lugar que estivermos e sentirmos necessidade, nos templos, em nossos quartos, no meio da rua, à beira da praia, em nossa mesa do escritório, contemplando um lindo lago.

Basta que você se conecte com o mais íntimo de si mesmo, de modo sincero, em comunhão com a humildade e pensar forte e intensamente naquilo que necessita, na pergunta da qual quer resposta, na gratidão que transborda de sua alma.  Sem dúvida, você estará em prece.

Quando estendemos as mãos ao semelhante necessitado, quando ouvimos interessados e atentos o desabafo de um amigo, sem julgá-lo. Quando realizamos com amor nossas ações, estamos praticando a prece.

Alguns acreditam que ao proferirem frases memorizadas automaticamente estão praticando uma oração. No entanto, palavras vazias de sentido e de sentimentos, jamais poderão ser consideradas uma prece.

A que se ter em mente que a prece somente dita, sem ações, atitudes e mobilização, pouca utilidade pode ter.

É preciso orar e agir. É preciso refletir e realizar. É preciso alcançar o ponto de conexão com o infinito. Ao encontrar a paz que a prece lhe traz, é preciso compartilhá-la.

Assim, a prece deve ser seguida de ação, atitude, vontade de ser diferente, deve conter o desejo sincero de ser melhor a cada dia e perseverar no bem.

A prece tem um poder imensurável e não importa o nome que você dê ao ato de se conectar com o infinito, naquele encontro mais profundo com suas emoções mais importantes.

Experimente, ainda que não creia em divindades, no mínimo, ao fazer disso um hábito descobrirá muito sobre si mesmo que jamais imaginara.

Digo por experiência própria que a vibração da mente que ora é capaz de clarear pensamentos, que além de proporcionar a calma, faz-nos capazes de enxergar caminhos, encontrar ideias sãs.

“A forma não é nada, o pensamento é tudo. Faça cada qual a sua prece de acordo com as suas convicções, de maneira que mais lhe agrade, pois um bom pensamento vale mais do que numerosas palavras que não tocam o coração.”

____________

Direitos autorais da imagem de capa: loganban / 123RF Imagens



Deixe seu comentário