publicidade

Faltava-me coragem para aceitar que estávamos em tempos diferentes…

Carta: Excesso Da Falta



Peço desculpas pela maneira invasiva que agi.

Peço desculpas sinceras por não ter compreendido antes, ou melhor, por não ter aceitado o que estava tão claro. Creio que não conseguia enxergar pois meus olhos estiveram envolvidos pela névoa da ilusão que se apega a qualquer migalha de atenção e a transforma em uma realidade inexistente.

É que naquela época eu vivia com o excesso da falta.


E faltava-me tudo enquanto excedia-me em faltas.

Excedi ao tentar aproximar-me de quem não me queria por perto.

Excedi por acreditar que devemos ser sinceros e demonstrar nossos sentimentos.


Excedi ao querer conhecer e compreender quem não quer ser conhecido ou compreendido.

Excedi ao acreditar nas palavras que a mim foram ditas não com verdades, mas por conquista.

E foram tantos os excessos em forma de cartas, mensagens e tempo.

Foram tantos excessos que quando dei por mim, o excesso havia se tornado um mau hábito.

E meus excessos se davam em razão das faltas.

Faltava-me coragem para aceitar que impor presença seja ela como for é algo que afasta qualquer um que queira ficar.

Faltava-me determinação para dizer não, realmente eu paro por aqui.

Faltava-me uma dose tripla de realismo.

Faltava-me coragem para aceitar que estávamos em tempos diferentes.

E de tantos excessos e faltas.

Perdi-me na teia da ilusão e não percebi que o que mais excedia em mim era o que faltava.

Por isso peço desculpas a você.

Amor Próprio.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.