Família

Famílias descobrem que filhas foram trocadas na maternidade e resolvem criá-las como irmãs!

As jovens foram trocadas acidentalmente logo que nasceram, mas os pais só descobriram quando elas tinham 3 anos.



Fazer parte da nossa família biológica é algo impossível de escolher, não importa se você tem ou não contato com ela, você a tem e ponto-final. Ao longo da vida, pode escolher com quem terá mais proximidade, quais amigos irá guardar para a vida e com que frequência verá seus pais, tios e demais familiares.

Para as jovens de 23 anos, Caterina Alagna e Melissa Fodera, a história de como ganharam duas famílias logo ao nascer é capaz de surpreender a todos. As meninas foram trocadas ainda na maternidade (sim, parece história de novela!), em um hospital da cidade siciliana de Mazara del Vallo. Mas os pais só perceberam esse erro quando as meninas completaram 3 anos, de acordo com reportagem do Times.

Um teste de DNA confirmou tudo, então ficou o questionamento: o que fazer? A escolha foi bem simples, e continua parecendo novela: as famílias decidiram criá-las juntas, como se fossem irmãs. A partir do momento em que a verdade foi descoberta, elas cresceram com quatro pais e oito avós.


Se você está se perguntando como as famílias descobriram, saiba que o enredo continua bem no nível ficcional. Enquanto buscava sua filha Melissa na escola, um dia, Marinella Alagna, de 51 anos, percebeu que uma menina chamada Caterina tinha uma semelhança impressionante com suas outras filhas.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Melissa Fodera.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Melissa Fodera.

Marinella automaticamente reconheceu a mãe de Caterina, Gisella Fodera, que conhecera na maternidade, cujas filhas nasceram com poucos minutos de diferença. Elas conversaram e concordaram em fazer um teste de DNA, e cerca de 15 dias depois as desconfianças foram confirmadas. Ambas acharam tudo “extremamente surreal”.


No início, eles contam que as coisas foram difíceis. As famílias simplesmente não ficavam confortáveis em trocar as crianças, ficavam com a sensação de que poderiam perdê-las para sempre, tudo por um erro hospitalar. Mas tudo se tornou mais simples quando decidiram que literalmente as criariam juntas, como irmãs.

Desde esse momento, elas passavam os dias juntas, faziam aniversários juntas e, aos poucos, foram se tornando inseparáveis. Ao invés de simplesmente trocar as meninas de casa, elas passaram a ir juntas para uma mesma casa e trocar quando bem entendessem, assim foram ganhando autonomia e liberdade.

Elas escolheram morar juntas nos fins de semana e feriados, e contam que foram colegas de sala até a faculdade. Todos na cidade consideram que as irmãs são gêmeas e contam que, provavelmente, estavam destinadas a ser próximas, como irmãs e melhores amigas. As meninas tomaram consciência da situação aos 8 anos, mas enxergam como se a vida sempre tivesse sido daquela forma.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Melissa Fodera.


É esse amor que une as famílias de duas jovens que foram trocadas na maternidade e que, aparentemente, deveriam ter sido gêmeas, mas que hoje se comportam como mais que irmãs, em uma conexão inexplicável.

Caso Nardoni pode virar série, mas família tenta proibição do material

Artigo Anterior

Ex de Andressa Urach vai à boate com polícia impedi-la de fazer show

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.